O MAU USO DA FÉ

Homem acusado de estuprar menina no Escolão do Mocambinho é pastor evangélico

Paulo Henrique fazia pregações em praças de Teresina e foi contratado para atuar como "cuidador" no Escolão do Mocambinho


De bíblia na mão, Paulo Henrique diz ser pastor

De bíblia na mão, Paulo Henrique diz ser pastor Foto: Piauihoje

O parnaibano Paulo Henrique de Oliveira Candido, de 50 anos, que se diz pastor evangélico da Igreja do Fundamento dos Apóstolos e Profetas Restituída, foi preso na manhã desta quinta-feira (26), em Teresina, acusado de estuprar a adolescente de iniciais M.E.T.G, de 13 anos, portadora de microcefalia e atrofia cerebral.

O crime, já constatado em laudos médicos periciais, ocorreu dia 18 deste mês. No mesmo dia a família da vítima denunciou o caso na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). Segundo as investigações feitas até agora, o estuprou teria ocorrido no Escolão do Mocambinho.

Os depoimentos e provas obtidas pelos policiais até agora revelam que a adolescente era abusada sexualmente desde fevereiro, no início do atual ano letivo, suspenso agora por causa da pandemia do coronavírus.

O pastor Paulo Henrique reside na rua Professor Cordeiro, na Vila Mocambinho I, localidade próxima ao Escolão do Mocambinho, uma escola municipal de tempo integral localizada em um dos bairros mais populosos e conhecidos da Zona Norte de Teresina.

Dados em poder dos investigadores revelam que Paulo Henrique era cuidador de crianças com necessidades especiais no Escolão do Mocambinho. Segundo a Polícia, ele teria se aproveitado por ser estagiário da área de enfermagem na escola para estuprar a adolescente.

O pastor foi preso na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) quando prestava depoimento. Os investigadores dizem que ele retirava a menina da sala de aula sob o pretexto de realizar alguns cuidados. "Era nessa saída para outro local no colégio que o crime era praticado", dizem os policias.

A Polícia já tem muitos elementos que comprovam que Paulo Henrique Candido como autor dos estupros seguidos da adolescente. O celular dele foi aprendido.

"Além dos depoimentos, há laudos periciais nos autos que comprovam o crime. Ele está preso, será conduzido à audiência de custódia e ficará à disposição da Justiça", disse o delegado Luccy Keiko.

Novas dúvida

Novas investigação podem ser abertas na área administrativa a pedido da família da menina estuprada, de que alega também ingerência política no caso. "A polícia teve uma certa dificuldade para prendê-lo porque é protegido de político e estava escondido", diz A.T, tia da garota.

Ela acrescenta que, se o estágio do pastor Paulo Henrique na área de enfermagem for confirmado, pode revelar irregularidade na contratação de pessoal para o Escolão do Mocambinho. "Não há registro de que ele estude em nenhuma escola de formação de pessoas para a área de enfermagem no Piauí", explica.

Reincidência e versões

Esse não é o primeiro caso de denúncia de estupro no Escolão do Mocambinho. Mas, por causa do coronavírus, a direção da escola simplesmente sumiu e não presta qualquer informação sobre o caso.

Secretaria Municipal de Educação, Semec, parece também ter feito pouco caso da grave denúncia. Nesta quinta-feira (26), procurada pela reportagem do Piauí Hoje.Com se limitou a mandar a mesma nota enviada na semana passada, como se os acontecimentos não tivessem evoluído.

Na nota, a Secretaria diz que na manhã de sexta-feira [20.03] foi procurada por familiares de uma aluna do Escolão do Mocambinho que apresentou de abuso contra a aluna e que a família informou que fez registro da ocorrência no Conselho Tutelar e na Polícia Cívil para apurar o caso. A Semec disse ainda que já havia providenciado imediata abertura de processo administrativo para apuração rigorosa dos fatos. Mas até agora não se tem notícia de que isso tenha ocorrido.

O portal Piauí Hoje.Com tem o nome completo da menina, da mãe e o endereço da família, mas não pública para proteger a identidade todos, como manda a lei.

O portal também tentou ouvir a versão do acusado, mas não foi possível porque ele está preso e o nome do advogado de defesa não foi informado à Polícia bem como ao portal, que mantém espaço aberto para a defesa do preso.

Nenhum representante da Igreja do Fundamento dos Apóstolos e Profetas Restituída foi localizado para falar sobre a ligação do pastor preso com aquela associação religiosa. A Igreja tem sede na Rua das Pedrinhas, 7035, no bairro Pedra Nome, Zona Leste de Teresina.

Matérias relacionadas: 

Preso acusado de estuprar menina no Escolão do Mocambinho

Menina com microcefalia é estuprada no Escolão do Mocambinho; cuidador é o suspeito

Autor de estupro a menina com microcefalia contínua em liberdade; família quer justiça


Fonte: PC e família da vítima

Próxima notícia

Dê sua opinião: