PROTEÇÃO

Sesapi faz campanha de prevenção de infecções sexualmente transmissíveis

Estão sendo realizados testes rápidos para a sífilis, HIV e as hepatites B e C


Agentes de saúde fazem testes rápidos para a sífilis, HIV e as hepatites B e C

Agentes de saúde fazem testes rápidos para a sífilis, HIV e as hepatites B e C Foto: Sesapi/Divulgação

Neste domingo de Carnaval, a Secretaria de Saúde do Piauí está realizando uma campanha de prevenção contra Infecções Sexualmente Transmissíveis no litoral piauiense. A superintendente de Atenção à Saúde e Municípios da Sesapi, Leila Santos, explica que as ações ocorrem nesta cidade devido ao grande fluxo de turistas para as festas carnavalescas.

“A Sesapi está com ações em parceria com os municípios, ofertando um trabalho integrado para aumentar os cuidados da população neste período de festas de Carnaval ”, diz.

Já a coordenadora de ISTs da Sesapi, Karina Amorim, garante que, além dos municípios do litoral, as equipes da secretaria estarão nas cidades de Barras, Água Branca, Valença e Bocaina, realizando teste para hepatite e sífilis, além da disponibilização gratuita de preservativos interno e externo e do gel lubrificante.

“Nestes dias estamos realizando testes rápidos para a sífilis, HIV e as hepatites B e C. Em caso de resultado positivo, os profissionais de saúde irão fazer os encaminhamentos, seja para a confirmação do resultado seja para o início do tratamento”, lembra Karina Amorim.

Além da camisinha, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece também a Profilaxia Pré-Exposição, que consiste na tomada de comprimidos antes da relação sexual, que permitem ao organismo estar preparado para enfrentar um possível contato com o HIV. A pessoa em PrEP realiza acompanhamento regular de saúde, com testagem para o HIV e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST).

O Ministério da Saúde ressalta, ainda, a importância da realização de testes para diagnóstico precoce, principalmente se houver relação sexual desprotegida, pois algumas ISTs podem não apresentar sinais e sintomas. Caso apresente exposição sexual com risco de infecção, o usuário deve buscar a profilaxia pós-exposição (PEP), que deve ser iniciada em até 72 horas. Se não forem diagnosticadas e tratadas precocemente, algumas infecções podem levar a graves complicações. Também é de extrema relevância que as parcerias sexuais sejam alertadas sempre que uma IST for diagnosticada, para que também realizem o tratamento.

Siga nas redes sociais
Próxima notícia

Dê sua opinião: