VÁRZEA GRANDE

MP/PI quer a suspensão da nomeação de aprovados em concurso realizado pela CONSEP

A empresa CONSEP foi alvo da operação policial “Amigos do Rei”, realizada com o apoio do GAECO, em que os proprietários da empresa foram presos por suposto envolvimento em fraudes de concursos públicos


Tiago Iglesias, Dirceu Iglesias e Diego Iglesias são acusados de envolvimentos em esquema criminoso

Tiago Iglesias, Dirceu Iglesias e Diego Iglesias são acusados de envolvimentos em esquema criminoso Foto: Reprodução Redes Sociais

O Ministério Público do Piauí, por meio da Promotoria de Justiça de Elesbão Veloso, ingressou com ação civil pública para obrigar o município de Várzea Grande, região Norte do Piauí, a suspender as nomeações dos aprovados em teste seletivo realizado em julho de 2021. A ação foi protocolada na última sexta-feira, 27 de agosto.

O MPPI instaurou inquérito civil público para apurar a legalidade da contratação da empresa CONSEP, responsável pelo teste seletivo, e a lisura da aplicação das provas. A empresa CONSEP foi alvo da operação policial “Amigos do Rei”, realizada com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPPI), em que os proprietários da empresa, Dirceu Iglesias Cabral Filho e os filhos advogado Tiago Lima Iglesias Cabral e o jornalista Diego Lima Iglesias Cabral foram presos por suposto envolvimento em fraudes de concursos públicos. Mesmo diante desses fatos públicos e notórios, o Município de Várzea Grande realizou a contratação direta da empresa, por dispensa de licitação, realizando o teste.

Durante a condução do inquérito, o Ministério Público requisitou ao município toda a documentação que justificaria a contratação direta, além de informações sobre a lisura do teste seletivo. O município não apresentou qualquer informação solicitada.

Assim, o MPPI ingressou com a ação civil pública requerendo que o município apresente a documentação requisitada; instaure procedimento administrativo para apurar a legalidade do contrato e da aplicação das provas; e suspenda a nomeação dos aprovados no teste até a finalização do procedimento de fiscalização, podendo anular o teste em caso verifique nulidades insanáveis. O processo está em vistas ao juiz de direito, que deverá decidir sobre os pedidos.

Fonte: Com informações do MP/PI

Próxima notícia

Dê sua opinião: