SAÚDE

Saúde masculina: a barba está ligada à testosterona?

Homens com pouca barba não precisam se preocupar quanto aos níveis de testosterona em seu organismo; saiba mais


Beleza

Beleza Foto: Divulgação

A barba é um dos principais atributos da masculinidade. Por isso, é comum que tanto a estética quanto a saúde dos pelos faciais seja uma preocupação para os homens. A boa notícia é que, atualmente, existe uma infinidade de cuidados e de produtos – como aparelhos de barbear e géis pós-barba.  

Mesmo diante desse cenário positivo, alguns homens se deparam com um problema: a falta de crescimento de uma barba cheia e saudável. Mas o que, de fato, influencia o crescimento e a saúde dos pelos faciais?  

Se você pensou em testosterona, saiba que acertou. O hormônio é produzido, principalmente, por homens e tem atuação em diversas áreas e funções do corpo. Gerada nos testículos, a testosterona é conhecida por ser o hormônio que confere aos homens características consideradas masculinas, como o engrossamento da voz e, também, o crescimento da barba.

Apesar de existir essa relação direta, homens com pouca barba não precisam se preocupar quanto aos níveis de testosterona em seu organismo. Isso porque a falta de pelos faciais não está ligada, necessariamente, à deficiência do hormônio.

Isso acontece porque, para agir no crescimento e na saúde da barba, a testosterona precisa ser convertida em DHT, hormônio chamado de di-hidrotestosterona. Também conhecido como estanolona, é considerado um esteroide sexual e androgênico. 

Quando a testosterona se transforma em di-hidrotestosterona, seus efeitos se tornam mais fortes. Dessa forma, homens que conseguem realizar essa síntese de forma mais satisfatória têm maiores chances de ter uma barba cheia e saudável. 

Mesmo que a testosterona – e sua transformação em di-hidrotestosterona – tenha relação com o crescimento dos pelos faciais, o hormônio não é o único responsável por essa característica masculina.

Assim como diversos outros fatores, a estética e a saúde da barba de um homem é influenciada pela genética. Dessa forma, é possível que alguns homens apresentem elevados níveis de di-hidrotestosterona e, mesmo assim, não consigam esbanjar uma barba farta.  

Se esse é o seu caso, não se preocupe. Mesmo que, muitas vezes, a genética seja considerada “implacável”, como alguns dizem, existem formas de contornar o problema para estimular o crescimento da barba.

Uma das medidas mais conhecidas é a prática de exercícios físicos. Você pode estar cansado de encontrar essa recomendação nas mais diversas listas, mas a verdade é que praticar atividades físicas traz inúmeros benefícios para o organismo como um todo.

Ao se dedicar aos exercícios, pelo menos, cinco vezes por semana, você estimula uma maior produção de testosterona – que, como sabemos, mesmo não sendo a única responsável pelo crescimento da barba, tem um papel importante nesse processo.

Além disso, cuidar da alimentação e ingerir comidas ricas em vitaminas do complexo B também pode te ajudar nesse processo de ter uma barba cheia e saudável.

E é claro que, para conquistar resultados melhores, você precisa cuidar dos pelos faciais e utilizar os produtos corretos. A escolha de um bom aparelho de barbear é o primeiro passo para garantir a saúde da barba, mas também é necessário considerar o uso de itens específicos, como espumas de barbear, esfoliantes faciais e até mesmo shampoos.

Próxima notícia

Dê sua opinião: