DESCASO

Mulheres dão à luz a bebês e são impedidas de deixar maternidade do bairro Dirceu

As mães relatam que o médico responsável por fazer um exame nas crianças está há dias sem comparecer


Mãe e bebê aguardam apenas a realização de um exame para irem para casa

Mãe e bebê aguardam apenas a realização de um exame para irem para casa Foto: Montagem Piauí Hoje

A pequena Bianca Cristina Borges de Souza acaba de vir ao mundo em meio a pandemia de Covid-19. Bianca nasceu saudável na quinta-feira (15/05) na Maternidade Municipal Prefeito Wall Ferraz, no bairro Dirceu, na zona Sudeste de Teresina. Até hoje, a bebê e sua mãe Fernanda Cristina Borges dos Santos Sousa, de 21 anos, nunca puderam ir para casa. As duas passam bem, mas estão com outras quatro mães e recém-nascidos à espera de um médico para a realização de um exame que faz parte do protocolo.

Segundo a autônoma Fernanda Cristina, que está representando as mães que estão na maternidade, a cada dia que ela passa na unidade aumenta o risco dela e sua bebê serem contaminadas pelo novo coronavírus. "Estou há cinco dias na maternidade aguardando um exame no qual o médico já foi solicitado diversas vezes. Não é só minha bebê que precisar fazer, ele nunca apareceu na maternidade! Aqui já tem caso de Covid-19 confirmado pela direção do hospital. Estou morrendo de medo de ficar aqui sem necessidade, aguardando a boa vontade do médico", reclama a jovem.

Fernanda e Bianca moram no bairro Todos os Santos e o maior desejo da mãe é ir para casa para proteger sua filha. O exame que Bianca precisa fazer é o Ecocardiograma, para saber se está tudo bem com o coração do bebê. Ela relata que já tem mães chorando desesperadas, com desejo de ir para casa, mas o hospital só libera os pacientes após a realização do exame.

"Tô arriscando minha vida é da minha filha. Já estamos até alta, mas temos que aguardar esse exame. Já procurei a assistência social do hospital e nada. Aí fui falar em sair desse hospital e me ameaçaram, falaram em chamar o Conselho Tutelar sendo que eu só tô querendo o bem para minha filha. Eu choro todos os dias preocupada. Tanto pela doença quanto por querer também estar em casa. O hospital também não providencia outro médico e nem nada", comenta Fernanda.

Fernanda é mãe de primeira viagem e seu parto foi natural. Ela relatou ainda das dificuldades que está tendo para cuidar de sua bebê porque não pode ter acompanhante devido a pandemia. "Graças a Deus tive um parto normal, porque se não eu nem saberia como iria ser. Nós estamos perante a Deus, sem saber o que fazer. Dá vontade de ir embora a força porque aqui dentro que estamos arriscando nossas vidas".

A jovem mãe disse ainda que as enfermarias da maternidade são sujas e isso a deixa ainda mais preocupada. "A enfermaria é suja e ainda com mal cheiro por causa do sangue das pacientes nos quartos", disse Fernanda Cristina.

OUTRO LADO

O Piauíhoje.com entrou em contato com a Fundação Municipal de Saúde (FMS), que informou que devido à pandemia de Covid-19 os atendimentos eletivos estão suspensos e a alta de recém-nascido ficou ainda mais criteriosa de maneira a dar mais segurança às famílias e garantir a saúde dos bebês.

"A Maternidade Municipal Professor Wall Ferraz possui dois neonatologistas em plantão diário, examinando caso a caso. O atendimento ambulatorial de neonatologia está suspenso em razão da pandemia de Covid-19 e a médica foi remanejada para a escala de plantão", informou a FMS por meio de nota enviada ao Piauíhoje.com.

Veja na íntegra a nota da FMS:

A Maternidade Municipal Professor Wall Ferraz informa que a alta de recém-nascidos nem sempre é feita concomitante à alta da mãe e só se dá quando são realizados todos os exames necessários e é possível dar segurança à família sobre o estado de saúde da criança.

Nesse momento de pandemia, em que os atendimentos eletivos estão suspensos, a alta de recém-nascidos ficou ainda mais criteriosa, de maneira a dar ainda mais segurança às famílias e a garantir mais saúde ao bebê.

A Maternidade Municipal Professor Wall Ferraz possui dois neonatologistas em plantão diário, examinando caso a caso. O atendimento ambulatorial de neonatologia está suspenso em razão da pandemia de Covid-19 e a médica foi remanejada para a escala de plantão.

Todo o trabalho é conduzido para que mães e recém-nascidos permaneçam na maternidade pelo menor tempo possível e apenas o estritamente necessário. Todas as medidas para reduzir risco estão sendo tomadas, não são permitidas visitas, nem troca de acompanhante, as medidas higiênicas foram intensificadas, todos recebem máscaras.

A alta médica é feita no momento apropriado, com segurança, de acordo com laudo médico e é importante respeitar isso, para segurança da mãe e do bebê.

Próxima notícia

Dê sua opinião: