REFORMA TRIBUTÁRIA

Secretário diz que reforma Tributária destrava o crescimento econômico do Brasil

O objetivo da reforma é simplificar os tributos em todo país


Secretário de Estado da Fazenda, Rafael Fonteles

Secretário de Estado da Fazenda, Rafael Fonteles Foto: AsCom/Sefaz

 Há anos o Congresso vêm discutindo uma forma de simplificar e desburocratizar os tributos do país. Atualmente, a reforma Tributária está em discussão na Câmara dos Deputados e no Senado, mas com propostas diferentes.

Os secretários de Fazenda de 27 estados fecharam a proposta alternativa da reforma e irão apresentar ao Congresso Nacional na próxima semana. A proposta ainda não tem o aval dos governadores de cada estado e prevê a unificação de cinco tributos (IPI, PIS, Cofins, ICMS e ISS) para criar o Imposto sobre Bens e Serviços (IBS). 

Em entrevista ao Notícias da Manhã, da TV Cidade Verde, o secretário de Estado da Fazenda (Sefaz)  Rafael Fonteles, informou que  a reforma tributária destrava o crescimento econômico do país. Ele ressaltou que não haverá aumento da carga tributária e a unificação dos tributos vai permitir que o contribuinte saiba, de forma clara, o que está pagando na nota fiscal.

"No primeiro momento, o princípio é não haver aumento da carga tributária. A diminuição é muito complicada porque a União, estados e municípios vivem uma crise fiscal. Mas no momento em que se simplifica, o contribuinte vai saber o que está pagando na nota fiscal de forma clara e isso é uma das novidades também. Ao longo do tempo vai ser possível diminuir a carga tributária, mas se você não simplifica, isso vai se tornar impossível. Com passar dos anos, com outras reforma que vão diminuir um pouco o tamanho do Estado, diminui-se a carga tributária", explica o secretário ao Notícia da Manhã.

Fonte: Notícia da Manhã/Cidade Verde

Próxima notícia

Dê sua opinião: