COMPRAS

Plataforma conecta consumidores, produtores rurais e negócios locais

Site aproxima quem quer comprar de quem quer vender


Produtos comercializados na Feira da Agricultura Familiar do Assentamento Santa Clara

Produtos comercializados na Feira da Agricultura Familiar do Assentamento Santa Clara Foto: Ascom SDR

A plataforma Pertinho de Casa pretende facilitar o contato entre consumidores, produtores rurais e pequenos negócios locais. A iniciativa é uma parceria entre a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e inicialmente é voltada para a grande São Paulo.

Para participar, os produtores rurais e os pequenos varejistas preenchem um cadastro informando qual o tipo de negócio e área de entrega. O portal seleciona, a partir do endereço do consumidor, os estabelecimentos que oferecem produtos na sua região. A negociação acontece diretamente por Whatsapp.

Conexões

“Essa plataforma aproxima quem quer comprar de quem quer vender. Eles mesmo se comunicam, e negociam os valores e a entrega. Sem atravessador e sem custo nenhum para o produtor e parar o consumidor”, ressaltou o vice-presidente da Faesp, Tirso Meirelles.

Segundo ele, a plataforma, que começou a funcionar há quase uma semana já teve “uma adesão fantástica”. “O mais importante de tudo isso foram os elos que ocorreram. A gente começou com os produtores e consumidores. Aí, entraram os pequenos negócios, aquele restaurante que quer comprar direto do produtor”, destacou.

Um dos pontos fortes, de acordo com ele, é a possibilidade de colocar os consumidores em contato com comerciantes que muitas vezes estão muito próximos da casa do comprador. “Quando eu já me cadastrei e vi o que tinha no bairro onde eu vivo, eu fiquei surpreso. Porque eu levanto muito cedo, vou fazer ginástica, vou trabalhar e volto à noite para dormir”, exemplificou.

Adaptação

Meirelles enfatiza que as mudanças provocadas pelo coronavírus tornaram o uso das ferramentas digitais uma necessidade para os pequenos produtores e comerciantes. “A gente estava no início do e-commerce. A sociedade estava muito voltada para as ferramentas digitais para o uso social. Com esse processo que ocorreu na pandemia, você verifica que as pessoas tiveram que se reinventar”, ressaltou sobre o aumento das transações comerciais pela internet.

Para ele, se não se adaptarem, os pequenos empreendedores terão perdas ainda maiores com a pandemia. “Até chegar uma vacina nós vamos ter que saber conviver com esse vírus. Nós vamos ter que nos transformar digitalmente. O empresário, o pequeno empreendedor e o agricultor que não se engajar nesse processo vai perder musculatura, vai perder condições de produção”, acrescentou.

A plataforma pode ser acessada no endereço https://pertinhodecasa.com.br/.

Fonte: Agência Brasil

Próxima notícia

Dê sua opinião: