CORONAVÍRUS

Profissionais de saúde da PMT denunciam redução de salários e de benefícios trabalhistas

Principal reinvindicação é o corte de adicional de insalubridade para profissionais que trabalham em setor covid


Sede da Fundação Municipal de Saúde

Sede da Fundação Municipal de Saúde Foto: Divulgação/FMS

Na última quinta-feira (25) a Fundação Municipal de Saúde decidiu reduzir o número de UBS exclusivas para tratamento da Covid-19 no município, a diminuição causou espanto em muitos profissionais da área da saúde, isso porque o estado e o município vivem um dos momentos mais críticos desde o início da  pandemia da Covid-19.

Além da redução nas UBS, profissionais de saúde reclamam também da suspensão da insalubridade, de cortes de salários do setor Covid, do corte de adicional noturno e da falta de profissionais, o que acaba sobrecarregando o trabalho desempenhado nesses locais. 

Veja mais:
>> Morre de Covid-19 último paciente de Manaus internado em Teresina

>> Mais de 900 idosos são vacinados no primeiro dia da nova etapa de imunização

A presidente do Sindicato dos Fisioterapeutas do Piauí (Sinfito-PI), Auriane Coutinho, explica que vários profissionais não foram informados previamente sobre os descontos e que a redução do pagamento do adicional de insalubridade para quem continua trabalhando em setor covid não deveria acontecer. "De ontem para hoje foi liberado o espelho do contracheque e quando os profissionais foram olhar seus contracheques, foram surpreendidos com várias alterações. Uma delas foi a redução do adicional de insalubridade de 40% para 20%, alguns tiveram o adicional zerado, sendo que esses profissionais continuam trabalhando em área covid então pelo grau de exposição deveriam continuar recebendo o adicional." 

Ela também citou problemas de logística ocasionados pela ausência de profissionais. "Em algumas escalas, não está sendo respeitado o quantitativo necessário de fisioterapeuta por número de leitos, de pacientes em alguns locais está ficando um fisioterapeuta para o atendimento de até vinte pessoas. O que é impossível e não está de acordo com a regulamentação do Conselho Federal." 

Convocação

O Sindicato dos Enfermeiros, Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Estado do Piauí também se manifestou de forma contrária contra as reduções promovidas pela Fundação Municipal de Saúde. Em documento a categoria convocou uma assembleia para discutir pontos como o corte de adicional de insalubridade, corte adicional de plantão e corte de salários do setor covid, a manifestação deve acontecer na terça-feira (02) em frente a Prefeitura de Teresina.

A Fundação Municipal de Saúde se pronunciou por meio de nota informando que os salários assim como adicionais e plantões estão sendo pagos em dia e o motivo das reduções seria o fim do acréscimo temporário, que teria validade até dezembro de 2020, de 20% no valor da insalubridade autorizado pelo Governo Federal.

Confira a nota na íntegra

A Fundação Municipal  de Saúde informa que não teve redução real de salários dos profissionais que trabalham na área da saúde de Teresina. Os salários, insalubridade e plantão estão sendo pagos rigorosamente em dia. O que houve foi o fim do acréscimo temporário(até dia 31 de dezembro de 2020)  de 20%  no valor da insalubridade que foi autorizado em  pelo Governo Federal, através do Ministério da Saúde, com aporte de recursos específico para essa finalidade.
No caso de segundo turno, também está sendo pago para os servidores cujos setores comprovem a necessidade. A FMS informa ainda que todas as medidas foram discutidas com as diretorias e informadas ao sindicato da categoria.

Próxima notícia

Dê sua opinião: