Margarete Coelho lamenta polêmica sobre cargo da irmã

Deputada ressaltou que Sádia Castro abriu mão de indicação para cargo federal


Margarete Coelho e Sádia Castro

Margarete Coelho e Sádia Castro Foto: Paulo Pincel

A deputada federal Margarete Coelho (Progressistas) lamentou a polêmica criada com a indicação, pelo governador Wellington Dias (PT), da irmã, professora e pós-doutora Sádia Castro, para a Secretaria de Estado do Meio Ambiente.  "O governador me pediu a indicação de minha irmã, tendo em vista em qualificação técnica dela [...] Minha irmã inclusive estava indicada para outro cargo em nível nacional [...] a Sádia é pós-doutora em Educação Ambiental, é uma formação que não é tão comum".

Margarete Coelho ressalta que nunca fez política com objetivos pessoais e não viu como uma vitória pessoal a indicação de cargo no governo. "Não me sinto, pessoalmente, vitoriosa. Nunca fiz da política um projeto pessoal. Acho que ganhou a pasta do Meio Ambiente que vai ter alguém que conhece a área, é técnico, alguém que tem formação na área e espero que tenha espaço para trabalhar no governo", defendeu.

A ex-vice-governadora do Piauí comentou o decreto do presidente Bolsonaro permitindo o porte de arma a várias categorias, inclusive advogados e jornalistas. "Abro mão da minha defesa pessoal, não quero fazer minha autodefesa. Eu quero uma polícia bem preparada, bem paga, bem equipada para garantir a minha segurança... Advogados tem perto de 1 milhão em todo o país. Quantos vereadores tem no Brasil?  Imagina quantas pessoas vão poder usar armas?", questionou a deputada.

A secretária Sádia Castro, com a equipe na Semar
A pós-doutora Sádia Castro assume a Secretaria de Estado do Meio Ambiente   [Foto: Assessoria]

Fonte: Paulo Pincel

Próxima notícia

Dê sua opinião: