POLÍTICA INTERNACIONAL

Com eleição de Gustavo Petro, Colômbia terá pela primeira vez um presidente de esquerda

Eleição de ex-guerrilheiro aponta fortalecimento da esquerda na América Latina


Gustavo Petro e Francia Marques foram eleitos presidente e vice da Colômbia

Gustavo Petro e Francia Marques foram eleitos presidente e vice da Colômbia Foto: Daniel Munoz/AFP

O ex-guerrilheiro, economista e senador Gustavo Petro foi eleito neste domingo (19) como o novo presidente da Colômbia. Ele teve 50,44% dos votos válidos, enquanto o seu adversário, Rodolfo Hernández, teve 47,31%. Os votos nulos somaram 2,24%. Os percentuais levam em conta 100% dos votos apurados.

A coalizão Pacto Histórico, da qual o vencedor faz parte, conta com Francia Márquez como vice. Ela é advogada, ativista pelo meio ambiente e direitos humanos e se consagra como a primeira mulher negra a ocupar o cargo.

Petro tem 62 anos e já foi deputado e prefeito da capital do país, Bogotá. É formado em economia e atualmente ocupa o cargo de senador pelo partido Colombia Humana, que ajudou a fundar.

Entre as principais propostas do novo presidente eleito estão a realização de uma nova reforma agrária, implementação de fontes de energia renováveis, políticas voltadas às minorias sociais, desobrigação do serviço militar e reforma tributária.

VITÓRIA DA ESQUERDA

No 1° turno, Petro saiu na frente, conquistando 40,32% dos votos contra 28,15% do adversário. A disputa, entretanto, ficou mais embolada no 2° turno.

Petro faz parte da coligação Pacto Histórico, de esquerda. Ele integrou a guerrilha M-19, desmobilizada em 1990. Exilou-se na Europa e, ao retornar à Colômbia, foi eleito senador em 2006 e prefeito de Bogotá de 2012 a 2015. Venceu a disputa ao Senado novamente em 2018.

Logo após sua vitória ser anunciada, Petro celebrou o resultado em seu perfil no Twitter e disse desejar que “os sofrimentos sejam amortecidos na alegria que hoje inunda o coração da pátria”. O candidato de esquerda declarou que trata-se de uma “vitória para Deus e para o povo colombiano e sua história”.


Rodolfo Hernández é engenheiro. Tem 77 anos e atua no ramo da construção civil. Foi prefeito de Bucaramanga, no norte da Colômbia, de 2016 a 2019, quando renunciou após dizer que estava sofrendo perseguição política. Naquele ano, um promotor abriu investigação contra Hernández por suposta participação indevida na política.

Hernández faz parte da Liga de Governantes Anticorrupção. Ele se descreve como “El Rey del Tiktok”. Durante a disputa eleitoral, fez uma intensa campanha pelas redes sociais e convocou colombianos para marchas de motos e caminhonetes. Sua campanha à Presidência teve como lema “não roubar, não mentir, não trair”.

Ao saber do resultado da votação deste domingo, ele agradeceu o apoio recebido dos colombianos. “Aceito o resultado, como deve ser, se quisermos que as instituições sejam firmes”, afirmou durante transmissão nas redes sociais.

Fonte: Com informações do Metrópoles

Próxima notícia

Dê sua opinião: