TORCIDA DO RIVER-PI

Torcida Esporão do Galo está suspensa de frequentar estádios por 120 dias

O pedido para suspender as atividades da torcida organizada foi feito pela 32ª Promotoria de Justiça de Teresina em ação civil pública após o episódio de violência no Estádio Albertão na semana passada


Torcida Esporão do Galo

Torcida Esporão do Galo Foto: Facebook/Torcida Esporão do Galo

A torcida organizada do River Atlético Clube, a Esporão do Galo, está suspensa por 120 dias de participar de qualquer evento esportivo no Piauí. A decisão é do juiz Teófilo Rodrigues Ferreira, da 3ª Vara Cível e começou a valer nessa terça-feira (11). Em caso de descumprimento, a organização deverá pagar a multa de R$ 50 mil. 

O pedido para suspender as atividades da torcida organizada foi feito pela 32ª Promotoria de Justiça de Teresina em ação civil pública movida contra a Esporão do Galo e o presidente da organização, Fábio da Silva Santos.

A promotora de  Justiça Graça Monte, titular da 32ª Promotoria de Justiça, reforçou o pedido de suspensão da Esporão do Galo na segunda-feira (10), após a torcida organizada do time piauiense se envolver em um conflito com os torcedores do América-RN, durante jogo no último domingo (9), no estádio Albertão. A medida liminar foi concedida pelo juiz Teófilo Rodrigues Ferreira, da 3ª Vara Cível de Teresina. A torcida poderá ainda sofrer outras penalidades criminais.

Outro lado

A torcida Esporão do Galo divulgou uma nota de esclarecimento sobre o fato ocorrido no jogo entre o River e América. A diretoria da torcida disse que repudia veementemente o uso da violência dentro e fora dos estádios e criticou o posicionamento da Polícia Militar presente na praça esportiva. De acordo com a organização, a PM  era responsável pela manutenção da ordem e segurança de todos os torcedores presentes. A entidade culpou também a  Federação de Futebol Piauiense (FFP), que "não dispõe da sensibilidade e conhecimento estrutural para lidar com as torcidas organizadas - e ventos deste porte - dentro do nosso Estado", disse trecho da nota.

Por fim, a Esporão de Galo disse que a falta de organização dos órgãos competentes foram um dos fatores cruciais para o episódio do último Domingo e que o acontecido poderia ter sido evitado.

Veja a nota da torcida Esporão do Galo:

"A Torcida Esporão do Galo vem através desta se posicionar sobre o triste incidente ocorrido no jogo entre RIVER x América-RN, válido pela Copa do Nordeste 2020.

A diretoria da Torcida Esporão do Galo repudia veementemente o uso da violência - dentro e fora dos estádios - e não está de acordo com o ocorrido na última partida. Criticamos o posicionamento da Polícia Militar (PM), que se fez presente na praça esportiva, e era a principal responsável pela manutenção da ordem e da segurança de todos os torcedores que ali se faziam presentes. A Federação de Futebol Piauiense (FFP), que também tem a sua - grande - parcela de culpa no episódio, afinal, hoje, a mesma não dispõe da sensibilidade e conhecimento estrutural para lidar com as torcidas organizadas - e ventos deste porte - dentro do nosso Estado.
Hoje, não há nenhuma restrição ou forma de organização por parte da Federação de Futebol Piauiense (FFP), que deixa os torcedores de nosso estado totalmente desprotegidos e a mercê de vândalos de outras regiões.
É público e notório que a Federação de Futebol Piauiense (FFP) deixou de praticar diversos atos que poderiam ter evitado o acontecimento, senão vejamos:
- O envio de oficio às Torcidas Organizadas;
- A falta de conhecimento sobre o histórico das torcidas visitantes, ou seja, mesmo a torcida adversária (América-RN) estando suspensa, foi permitida a sua entrada no Estádio Albertão, local onde os verdadeiros vândalos ficaram ao lado de crianças, idosos e até famílias inteiras, sem nenhuma demarcação;
- Planejamento para o jogo;
- Equipe especializada no evento;
Também é importante esclarecer que não somos contra a POLÍCIA MILITAR (PM), muito pelo contrário, sabemos da sua qualidade, competência e da capacidade - sendo umas das corporações mais respeitadas de nosso Estado - . A mesma, por sinal, nos últimos dois anos, vinha fazendo um ótimo trabalho, através do Oficial MAJOR NIVALDO, um grande profissional, admirado e respeitado por todas as torcidas e torcedores comum - em geral -, pela sua sensibilidade e dedicação na proteção dos espetáculos futebolísticos.
Também não poderíamos deixar de destacar alguns dos vários equívocos cometidos durante a partida RIVER x América-RN:
- A Torcida do América-RN está punida por 10 jogos (que incluia o jogo em questão) e mesmo assim adentrou o Estádio, colocou as suas faixas e usou o seu material, portanto, devidamente exposta. O que nos parece é que os organizadores da partida - administradores do Estádio e a própria Polícia Militar - não estiveram cientes do fato.
- A Torcida do América-RN ao adentrar o estádio não foi acompanhada por nenhum tipo de policiamento, encontrando, assim, um ambiente propicio ao vandalismo - algo já característico deles -.
- Outro agravante foi o não cumprimento do protocolo de revista pessoal nos integrantes da torcida do América-RN - o que favoreceu a ação dos marginais de guardarem armas dentro do Estádio -;
- Os integrantes da torcida visitante não estiveram separados dos demais torcedores do River - mesmo sendo público e notório o histórico violento da torcida do América-RN -.

Concluímos que a falta de organização dos órgãos competentes foram, sem sombra de dúvidas, um dos fatores cruciais para o triste episódio do último Domingo e ressaltamos que o acontecido poderia ter sido evitado, por estes, caso tivessem tido um "pouquinho" mais de empenho".

Att: Diretoria

Próxima notícia

Dê sua opinião: