REENCONTRO

Idoso que mora sozinho pede ajuda para reencontrar familiares no Piauí, Brasília e RJ

O idoso reside atualmente em Bacabal, no Maranhão, e não sabe dizer em qual cidade nasceu


Francisco Martins dos Santos

Francisco Martins dos Santos Foto: Gilmar Chaves

O idoso Francisco Martins dos Santos está em busca de seus familiares no Piauí, Rio de Janeiro e em Brasília, mas não vê há pelo menos nove anos. De acordo com o professor Gilmar Chaves, o idoso tem dificuldade para se comunicar e não sabe informar a cidade do Piauí onde tem familiares e nem onde nasceu.

Atualmente, Francisco dos Santos mora sozinho em Bacabal, no Maranhão. "Ele é um velhinho muito sofrido porque ele não tem aposentadoria, não renda. Então ele passa necessidade em todos os modos, de comida, de roupa, de remédios. É uma vida extremamente sofrida. Eu e um grupo de amigos nos juntamos para ajudá-lo. Um compra roupa, outro comida, mas ainda não é suficiente, porque também somos pobres", disse o professor Gilmar Chaves.

Os pais de Francisco são Manuel Martins da Silva e Belina Gomes dos Santos. Francisco morou um tempo no bairro Planaltina, em Brasília (DF), onde teve um filho de nome Adomax. A irmã de Francisco, Maria Luiza Ribeiro dos Santos, ficou cuidando de Adomax quando Francisco foi morar em Bacabal. 

No Rio de Janeiro mora o irmão dele identificado como Domingo Martins dos Santos, com quem Francisco também já morou. Já no Piauí moram as irmãs Luzinete Maria dos Santos e Rosária Martins dos Santos.

"Ele [Francisco] precisa encontrar a família dele. Os medicamentos que ele tem que tomar para o coração, para a pressão, ele não está tomando porque a gente não tem condição de comprar. Ele quer muito reencontrar a família dele. Ele é muito doente e passa muita necessidade. Por favor, me ajudem a encontrar a família dele", comenta Gilmar Chaves.
Quem souber qualquer informação que ajude Francisco Martins dos Santos a reencontrar sua família pode entrar em contato com o professor Gilmar Chaves através do número de WhatsApp (99) 9 8138 2234.

Próxima notícia

Dê sua opinião: