CAMPEÃO

Gabigol decide de novo, e o Flamengo é tricampeão da Libertadores da América

Atacante marcou nos acréscimos da primeira etapa, após expulsão de Pedro Henrique, e Rubro-Negro carioca supera Athletico na decisão de Guayaquil


Gabigol marcou o gol da vitória do Flamengo

Gabigol marcou o gol da vitória do Flamengo Foto:

Mais uma vez, Flamengo! Em sua terceira final de Copa Libertadores em quatro temporadas, o Rubro-Negro bateu o Athletico-PR em Guayaquil, no Equador, por 1 a 0, para levantar a mais desejada taça do continente pela terceira vez em sua História, após as conquistas de 1981 e 2019.

Gabigol, que chegou ao seu quarto gol em três finais de Copa Libertadores, foi o herói da conquista, colocando na rede do goleiro Bento, a bola que selou a conquista do Fla.

O time de Dorival Júnior vez valer sua superioridade técnica e equiparou a disposição do Athletico-PR de Luiz Felipe Scolari para empatar com São Paulo, Grêmio, Santos e Palmeiras como clube brasileiro mais vezes campeão da competição continental.

O troféu consagra o trabalho da diretoria de futebol e de Dorival, que herdou do técnico português Paulo Sousa um time combalido moral, técnica e taticamente. Potencializando o que o elenco tinha de melhor, sem inventar, Dorival permitiu que o forte Flamengo florescesse para conquistar seu segundo troféu em dez dias —ganhou a Copa do Brasil no dia 19, sobre o Corinthians.

Cronologia do Jogo

Gabigol abriu o placar aos 48 minutos do 1º tempo após cruzamento de Everton Ribeiro. Foi o suficiente para garantir a conquista.

Quem foi bem: Everton Ribeiro comanda o Flamengo

Capitão da equipe, Everton Ribeiro demonstrou mais uma vez que vive grande fase e que quer uma vaga na Copa do Mundo do Qatar. Em uma grande atuação, o jogador comandou a equipe do Flamengo e fez uma grande jogada no gol de Gabigol.

O Athletico-PR jogava melhor e a torcida do Flamengo parecia sentir o momento, mas o zagueiro Pedro Henrique foi afobado, e porque não irresponsável, e com duas faltas desnecessárias —uma em Gabigol e outra em Ayrton Lucas— foi expulso ainda no primeiro tempo após receber dois cartões amarelos. Depois do vermelho, deixou o campo chorando.

Desempenho do Flamengo

O técnico Dorival Júnior colocou em campo o chamado "time das Copas", mas encontrou dificuldades no início do jogo para achar espaços no campo de ataque. Ainda cedo, Filipe Luís sentiu e Ayrton Lucas entrou na vaga. Pelo setor, o Fla conseguiu ter avanços e houve um lance que mudou o cenário, com a expulsão de Pedro Henrique. Pouco depois, porém, após tabela pela direita, Everton Ribeiro achou Gabigol nas costas da defesa, e o camisa 9 abriu o placar.

No segundo tempo, o time soube controlar as emoções e ditou o ritmo, conseguindo criar boas chances. Sofreu poucos sustos.

Desempenho Athletico-PR

O técnico Felipão fez alteração no time e entrou em campo com um 4-4-4, tendo Hugo Moura como primeiro volante e Vitor Roque no setor ofensivo. A equipe paranaense conseguiu, com uma marcação encaixada, criar problemas ao Fla e, com saídas em velocidade, chegou a levar perigo. O time vinha conseguindo manter o adversário longe da área, mas o esquema ficou prejudicado após a expulsão de Pedro Henrique.

Na volta do intervalo, Felipão tentou mudar a cara da equipe, mas não conseguiu ter a bola para fazer o jogo ganhar outra conjuntura. No fim, buscou pressionar o Fla, mas sem grande sucesso.

Calor intenso

Jogadores e torcedores sofreram com o forte calor de Guayaquil na tarde deste sábado. Os termômetros marcavam 34 graus, mas a sensação térmica era de mais. Muitos precisaram se refrescar jogando água nas cabeças.

Assim como em Montevidéu, no ano passado, contra o Palmeiras, o lateral Filipe Luís deixou a decisão da Libertadores ainda no primeiro tempo de jogo. Aos 18', o defensor sentiu a perna direita após dividida com Vitor Roque. Ayrton Lucas entrou em seu lugar, como muito apoio da torcida.

Pedro Henrique é expulso e o jogo muda

Felipão havia tentado uma tática com marcação individualizada no meio-campo para conter o talentoso Flamengo. E, até os 43' do 1º tempo, estava dando certo. Mesmo com muito menos bola no pé, o Athletico era mais consistente no jogo. Mas o defensor, que já tinha um amarelo por entrada por trás em Gabigol, deu carrinho em Ayrton Lucas, em cima da linha da área, levou o segundo e deixou o seu time com um a menos.

O Athletico ainda estava confuso, tentando entender como mitigar a perda de Pedro Henrique, quando João Gomes achou Everton Ribeiro na direita do ataque. O cruzamento do meia, de pé direito, atravessou a área do Furacão e encontrou Gabigol na trave oposta. E o artilheiro não perdoou: 1 a 0.

Furacão insiste, mas para em Santos

Felipão teve de recompor sua defesa, mas não deixou de tentar atacar. Com Terans, Cannobio, Rômulo e Pablo, o Furacão tentou chegar à frente na segunda etapa. Mas parou em Santos e na boa partida da dupla David Luiz e Léo Pereira. Aos 43' do 2º tempo, ele encaixou uma falta cobrada no ângulo por Terans.

Viagem longa

Um grupo de torcedores de Cuiabá veio de carro para Guayaquil. No total, foram cinco dias de estrada e alguns percalços, como pneu furado e a perda da carteira com os documentos na alfândega do Peru. Mesmo assim, eles estavam bastante animados com a possibilidade de assistir a final da Libertadores.

Muitos athleticanos chegam ao jogo no dia

Um bom número de torcedores do Athletico-PR chegou a Guayaquil no dia da partida, fazendo com que a desproporção no estádio fosse um pouco menor do que o esperado, algo em torno de 70% de flamenguistas e 30% de athleticanos.

Equatorianos comparecem em bom número
Um bom número de equatorianos compareceu ao estádio Monumental. A maioria deles estava vestida ou com a camisa da seleção do Equador ou com a do Barcelona (EQU), clube mais popular do país e dono do estádio. Quem era sócio do clube, por exemplo, teve 70% de desconto no ingresso e ainda ganhou outro grátis.

Shows de Buchecha e MC Jessé

Antes da bola rolar, a Conmebol promoveu uma apresentação com dançarinos e também shows do rapper MC Jessé, representando o Athletico-PR, e do funkeiro Buchecha, representando o Flamengo. Cada um cantou uma música de sua respectiva torcida.

Preços salgados nos bares

Quem quis consumir nos bares do estádio Monumental encontrou preços salgados. A cerveja [Amstel], por exemplo, custava US$ 4 [cerca de R$ 21 ]. O refrigerante [Pepsi ou Seven Up] saiu a US$ 3 [cerca de R$ 16]. A água estava US$ 2 [cerca de R$ 10] e o repositor energético [Gatorade] US$ 4 [cerca de R$ 21].

Para quem estava com fome, o hambúrguer custou US$ 5 [cerca de R$ 26], o cachorro-quente US$ 4 [cerca de R$ 21] e a empanada US$ 3 [cerca de R$ 16].

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 1 X 0 ATHLETICO-PR

Competição: Copa Libertadores - Final
Local: Estádio Monumental, em Guayaquil, no Equador
Árbitro: Patrick Lostau (ARG)
Auxiliares: Diego Bonfá (ARG) e Ezequiel Brailovsky (ARG)
VAR: Mauro Vigliano (ARG)
Gols: Gabigol, aos 48' do 1º tempo (FLA)
Cartões Amarelos: Alex Santana e Pedro Henrique (CAP); Arrascaeta e Vidal (FLA)
Cartão Vermelho: Pedro Henrique (CAP).

Flamengo: Santos; Rodinei, David Luiz, Léo Pereira e Filipe Luís (Ayrton Lucas); Thiago Maia (Vidal), João Gomes, Everton Ribeiro e Arrascaeta (Everton); Pedro e Gabigol (Victor Hugo). Técnico: Dorival Júnior.

Athletico-PR: Bento; Khellven; Pedro Henrique, Thiago Heleno e Abner; Fernandinho, Hugo Moura, Alex Santana (Matheus Felipe) e Vinicius Bueno (Rômulo); Vitinho (Cannobio) e Vitor Roque (Pablo). Técnico: Felipão.

Fonte: UOL

Próxima notícia

Dê sua opinião: