DADOS

Observatório aponta que índice de violência sexual é maior em mulheres até 19 anos

O Observatório da Mulher apontou dados sobre a violência sexual em mulheres de Teresina


Abuso Sexual

Abuso Sexual Foto: Imagem ilustrativa

Em alusão ao dia  Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes , lembrado nesta quarta-feira (18), o Observatório da Mulher mostrou dados relacionados aos crimes de violência sexual, estupro e assédio das mulheres que moram em Teresina. Segundo os dados, o índice de violência sexual é maior em mulheres de 0 até os 19 anos.

A data, 18 de maio,  foi determinada pela Lei 9.970/2000, em memória à menina Araceli Crespo, de oito anos, sequestrada e violentada no Espírito Santo.

O documento foi preparado pelo Observatório Mulher Teresina, em parceria com a Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM). Os dados comparam ao ano de 2020, primeiro ano de pandemia por COVID-19 a 2021 e revelam um aumento no índice de violência sexual.

Segundo os dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) e do Ministério da Saúde (MS) relacionado à violência interpessoal, o Observatório Mulher Teresina aponta que de 96% dos casos contra pessoas do sexo feminino, 78,5% eram meninas entre 0 a 19 anos.

Outro dado importante foi com relação ao contexto em que a mulher vive, quanto menor a idade da mulher, maior a ocorrência da violência sexual no espaço escolar. Quanto maior a idade, maior a ocorrência em vias públicas. 

Suziane Santos, técnica do Observatório, faz uma análise dos dados.“É importante pontuar que meninas pardas de 10 a 14 anos foram as que mais sofreram violência sexual”. O percentual de estupro contra meninas de 10 a 14 anos de 2011 a 2021 apresenta 72% dos casos, em relação ao assedio sexual 76%. Entre 2011 a 2021, 612 meninas já haviam sofrido episódios de violência outras vezes, representando 42% dos casos.

Crianças e adolescentes participam de ação voltada para o Dia D de combate à violência sexual infantojuvenil

Na manhã desta quarta-feira (18), os jovens assistidos pelos serviços sociais da Ação Social Arquidiocesana (ASA) e de outras instituições que atuam na luta pela garantia dos direitos das crianças e adolescentes, realizaram a distribuição de material informativo para alertar a sociedade sobre a importância do combate à exploração sexual infantojuvenil no Piauí. 


Equatorial Piauí premia municípios destaque em cadastros na Tarifa Social de Energia

Representantes do transporte alternativo se reúnem com secretário de governo nesta terça

Próxima notícia

Dê sua opinião: