RECONHECIMENTO

Em dia comemorativo, assistentes sociais de Teresina refletem sobre desafios da pandemia

Nesta sexta-feira, 15 de maio, data em que se comemora do Dia do Assistente Social, Teresina tem muito do que se orgulhar dos profissionais que lhe assiste


Assistente Social so Cras

Assistente Social so Cras Foto: Divulgação

Um novo contexto surge no exercício da atividade da assistência social. “É preciso ter coragem em meio a dor e ao medo para construir ações que garantam dignidade, respeito e valorização da pessoa humana. Assim estamos enquanto assistentes sociais, nos ressignificando na luta por direitos em meio a pandemia que vivemos”, é o que diz Marfisa Mota, assistente social que desenvolve um trabalho de assessoria técnica na Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi).

Nesta sexta-feira, 15 de maio, data em que se comemora do Dia do Assistente Social, Teresina tem muito do que se orgulhar dos profissionais que lhe assiste. Nas mais diversas frentes de atuação, eles têm mostrado que a dedicação e o amor ao que escolheram abraçar como profissão são fundamentais para desempenharem bem a missão.

“Os assistentes sociais têm o desafio de assegurar proteção social às famílias teresinenses para que no mundo pós-pandemia não haja um fosso ainda maior de desigualdades, especialmente em relação à população mais vulnerável. No geral, ver o acesso efetivo da população aos direitos é a parte mais gratificante, seja tanto dos que fazem parte da Política de Assistência Social, quanto dos demais direitos como saúde, habitação, convivência familiar, entre outros”, afirma Dannylo Cavalcante Alves, que trabalha no Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) Sudeste III – Casa da Cidadania.

Além dos CRAS, todas as instituições e entidades que integram a rede socioassistencial na capital tiveram que adaptar os serviços a uma nova forma de contato com as comunidades onde estão inseridas por conta da conjuntura imposta pela pandemia do novo coronavírus. Exemplo disso, é trabalho desenvolvido para o atendimento à população em situação de rua no Estádio Lindolfo Monteiro. São novas medidas frente à realidade de distanciamento físico, protocolos e regras, mas uma coisa não mudou: o cuidado.

“Estamos com muitos procedimentos que se voltam para o enfrentamento ao coronavírus, que  vão desde a orientação e acompanhamento de implantação de serviços emergenciais para atendimento à população em situação de risco, população idosa e em situação de rua;  produção e análises de portarias, minutas e decretos; orientações para as entidades parceiras do SUAS (Sistema Único de Assistência Social) sobre ajustes dos planos de trabalho, funcionamento dos serviços essenciais, situação de trabalho e proteção dos servidores, entre outros”, explica Marfisa Mota.

A assistência social realiza-se de forma integrada com as demais políticas setoriais, visando ao enfrentamento da pobreza, garantia dos mínimos sociais, provimento de condições para atender contingências sociais e universalização dos direitos sociais. “O profissional da assistência social tem um papel fundamental na nossa sociedade. É papel da política da assistência social suprir as diversas vulnerabilidades, dar encaminhamento necessário juntamente com as demais políticas públicas, para melhorar a qualidade de vida das pessoas; portanto, a atuação do assistente social tem um impacto fundamental para a construção de uma sociedade digna e verdadeiramente sustentável”, diz o secretário municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas, Samuel Silveira.

O Dia do Assistente Social homenageia os profissionais que atuam empenhados em minimizar as desigualdades sociais e econômicas. A data 15 de maio, em alusão ao dia em que a profissão foi regulamentada em 1957, celebra a importância destes agentes, que têm como missão promover o acesso da população aos direitos básicos de forma plena.

“O assistente social é um profissional que tem ocupado espaços importantes na intervenção e na produção do conhecimento. Sua competência profissional está pautada em um projeto que se insere em uma realidade com inúmeros desafios para o provimento e defesa de direitos sociais. Atualmente, estamos vivendo um momento assim. Dessa forma, devemos agradecer a todos os profissionais que estão na construção de uma sociedade mais justa e garantidora de direitos sociais”, afirma Mauricéia Carneiro, secretária executiva do SUAS da Semcaspi.

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) é o órgão do poder executivo municipal responsável legalmente pelo planejamento, coordenação e execução da Política de Assistência Social, fundamentada nas leis que atualmente regulamentam o direito da assistência no Brasil, como Lei Federal nº 8.742/93 (LOAS), Política Nacional de Assistência Social/PNAS, Norma Operacional Básica do SUAS/NOB, Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais, entre outras.

Fonte: Ascom PMT

Próxima notícia

Dê sua opinião: