RETALIAÇÃO

Moro faz chantagem contra Bolsonaro ao ameaçar sair do governo

Como se sente mais importante que o governo todo, Moro ameaça pedir baixa do cargo toda vez que é contrariado


Bolsonaro quer manter Moro sob controle com promessa de cargo de ministro do STF

Bolsonaro quer manter Moro sob controle com promessa de cargo de ministro do STF Foto: Isaac Amorim/MJSP

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, teria ameaçado, nesta quinta-feira (23), deixar o governo caso o presidente Jair Bolsonaro leve em frente a proposta de recriar o Ministério da Segurança Pública, esvaziando a pasta comandada pelo ex-juiz da Lava Jato.

A notícia da decepção e irritação de Moro com a proposta de recriação do Ministério da Segurança Pública foi confirmada pela jornalista Delis Ortiz, da TV Globo, em matéria exibida no Jornal Nacional, que se transformou num porta voz do ex-juíz.

A ameaça de Moro é uma forma de chantagem contra Bolsonaro. Ele foi transformado em "herói" pela mídia familiar, liderada pela Globo, e por isso é atualmente o mais popular membro do governo. E não poderia ser diferente, já que ele usou o cargo de juíz federal para perseguir o ex-presidente Lula e o PT para ajudar a eleger Bolsonaro.

A reação do ex-juíz da Lava Jato veio depois que Bolsonaro se reuniu com os secretários de Segurança dos estados, na quarta-feira (22), quando houve a sugestão de recriação do Ministério da Segurança Pública e o presidente prometeu avaliar a sugestão dos secretários, que se sentem abandonados pelo ministério de Moro.

O ministro Moro não foi convidado para a reunião, numa demonstração de distanciamento do presidente em relação ao ministro. Ele ameaça deixar o governo porque sabe que seu poder e prestígio estão sendo esvaziados, o que já era previsto, haja vista o tamanho ego e ambição política do ex-juíz do Paraná.

Por perceber essa perda de espaço e importância, Moro vive de calundu porque parece que quer ser, sozinho, o governo todo. O problema é que ele não foi o eleito e existem outros jogadores no taboleiro da Esplanada dos Ministérios, além dos alojados nos poderes Judiciário e Legislativo.

Moro vem sofrendo sucessivas derrotas no Congresso e no STF e precisa entender, de uma vez por todas, que a serventia dele para a extrema direita e para o Governo Bolsonaro está acabando. Ele deve dar-se por satisfeito se o presidente ainda o indicar para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal - STF, como teria sido prometido.

Próxima notícia

Dê sua opinião:

Sobre a coluna

Luiz Brandão

Luiz Brandão

Luiz Brandão é jornalista formado pela Universidade Federal do Piauí. Está na profissão há mais de 35 anos. Já trabalhou em rádios, TVs e jornais. Foi repórter das rádios Difusora, Poty e das TVs Timon, Antares e Meio Norte. Também foi repórter dos jornais O Dia, Jornal da Manhã, O Estado, Diário do Povo e Correio do Piauí. Foi editor chefe dos jornais Correio do Piauí, O Estado e Diário do Povo. Atualmente é diretor de jornalismo do portal www.piauihoje.com

Fique conectado

Inscreva-se na nossa lista de emails para receber as principais notícias!

*nós não fazemos spam

Enquete