ABUSO DE PODER

TSE abre investigação contra Bolsonaro e Braga Netto por atos no 7 de setembro

O ministro e corregedor-geral eleitoral Benedito Gonçalvez acolheu o pedido do PDT para investigar o suposto abuso de poder do presidente


Bolsonaro acompanhando desfile de 7 de setembro na Esplanada

Bolsonaro acompanhando desfile de 7 de setembro na Esplanada Foto: Igo Estrela/Metrópoles

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Benedito Gonçalvez acolheu o pedido do PDT para investigar a conduta do presidente Jair Bolsonaro (PL) e do vice na chapa que concorre à reeleição, Braga Netto (PL), durante as comemorações do 7 de Setembro.

Gonçalvez, também corregedor-geral eleitoral, determinou que ambos apresentem a defesa em um prazo de cinco dias. “Em primeira análise, a petição inicial preenche os requisitos de admissibilidade”, afirmou.

Bolsonaro paga milhões para instituto que coloca Silvio Mendes em 1º lugar nas pesquisas

Bolsonaro teme que escândalo sobre dinheiro vivo alcance o eleitor indeciso

VÍDEO: Lula diz que "Brasil irá reconquistar sua bandeira, soberania e democracia"

Nessa quinta-feira (8/9), o PDT entrou com ação na Corte pedindo a inelegibilidade da chapa por abuso de poder e desvio de finalidade. De acordo com a sigla, Bolsonaro usou o cargo para desvirtuar o evento de forma a “promover sua candidatura”.

“Embora toda a estrutura do evento tenha sido paga com dinheiro público, Bolsonaro pediu votos no primeiro turno e conclamou seus apoiadores a convencerem mais pessoas a votar nele”, argumentou o partido.

O pedido ainda segue: “Por ser um ato público destinado a louvar um fato histórico para o país, o evento não poderia ter sido transformado em um palanque eleitoral, com a utilização de toda estrutura custeada com dinheiro público. Cite-se, por relevante, que, para a realização do evento cívico comemorativo, foram gastos cerca de R$ 3.38 milhões.”

Fonte: Metrópoles

Próxima notícia

Dê sua opinião: