TEMPUS VERITATIS

Mauro Cid reconhece que não havia provas de fraude nas eleições de 2022

Ele diz que foram infiltradas pessoas para achar algo suspeito, mas nada foi encontrado


Tenente-coronel Mauro Cid

Tenente-coronel Mauro Cid Foto: Geral Magela/Agência Brasil

Conversas entre o tenente-coronel Mauro Cid e outro tenente-coronel, o Ferreira Lima, revelam que não havia provas para embasar uma suposta fraude nas eleições de 2022.

As mensagens em que Mauro Cid reconhece o fracasso em demonstrar que os números da eleição eram falsificados foram enviadas a Hélio Ferreira Lima, que também é integrante das Forças Especiais e colaborava com a trama para manter Jair Bolsonaro no poder.

Cid relata um empenho para esquadrinhar os dados das urnas eletrônicas. Ele diz que receberam documentos e pen drives de várias origens, que infiltraram pessoas em vários lugares para encontrar algo suspeito, mas não tiveram sucesso.

Conversas entre Mauro Cid e Ferreira Lima 

Os dois faziam parte do plano para manter Bolsonaro no poder 

“Cara, é muita denúncia. Não é pouca não, é muita. É matemático. Estatístico. PhD. É… aquelas… é, denúncias sigilosas. Vai encontrar o cara no mercadinho. Vai encontrar o cara na garagem o cara passa um pen drive. Tem de tudo, cara. Mas ninguém, ninguém ainda chegou com uma coisa que fale que, que consiga abrir uma investigação. Entendeu?”, disse.

No final da conversa Ferreira Lima parece frustrado diante do insucesso do plano.

Fonte: O Antagonista

Siga nas redes sociais
Próxima notícia

Dê sua opinião: