FHC e Bolsonaro trocam provocações nas redes sociais

Fernando Henrique Cardoso foi chamado de comunista pelo presidente eleito


Fernando Henrique Cardoso foi chamado de comunista por causa do livro que segura na foto

Fernando Henrique Cardoso foi chamado de comunista por causa do livro que segura na foto Foto: Twitter

O ex-presidente do Brasil Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) trocaram uma série de provocações nas redes sociais, após declaração do tucano de que o governo Bolsonaro deve ser prejudicial à imagem do país no exterior. "A desinformação é péssima conselheira, sobretudo vinda dos poderosos: na foto do Twitter do Pr(esidente) eleito eu apareço lendo um livro de ex-Premier da China, deposto e preso, em que critica o regime. Isso aparece como ”prova” de que sou comunista. Só faltava essa. Cruz, credo!", escreveu FHC nesta segunda-feira (5).

Em programa gravado em Lisboa, que irá ao ar no próximo dia 7, Fernando Henrique Cardoso disse que em seu modo de ver o próximo governo deverá ter um impacto negativo em outros países. 

“Ele [Bolsonaro] disse que o Mercosul não é prioridade, o que abala a relação do Brasil com parceiros do Sul. Foi dito que, eventualmente, o Brasil poderia cortar relações com certos países”, afirmou.

A declaração foi divulgada pelo jornal Folha de S.Paulo, que acompanhou o evento Fronteiras XXI, promovido pela Fundação Francisco Manuel dos Santos e a emissora RTP 3, no último dia 3, em Portugal.

Reação imediata

Após a repercussão da fala de FHC, Bolsonaro publicou neste domingo (4) em seu Twitter uma foto em que o ex-presidente aparece segurando o livro “Prisoner of the State: The Secret Journal of Premier Zhao Ziyang” (O Prisioneiro do Estado: O Jornal Secreto do Primeiro Ministro Zhao Ziyang), escrito pelo ex-líder do Partido Comunista da China Zhao Ziyang. 

A publicação do presidente eleito teve mais de 22 mil curtidas e, a maioria dos comentários, acusa o tucano de ser comunista. Um deles é o do dono das Lojas Havan, Luciano Hang, que diz: “FHC enganou a mim e a todos os Brasileiros. É um comunista”.

Na manhã desta segunda-feira (5), FHC respondeu à provocação. Em seu Twitter, ele escreveu que “a desinformação é péssima conselheira, sobretudo vinda dos poderosos”.

Durante a corrida eleitoral, FHC já havia tecido críticas a Bolsonaro. No 2º turno, o tucano declarou que não votaria no candidato do PSL, mas também negou que apoiaria seu adversário, o petista Fernando Haddad.

Memórias de Zhao Ziyang

O livro que FHC segura conta as memórias do ex-general e secretário do partido comunista chinês Zhao Ziyang, que foi demitido, deposto e preso após apoiar os estudantes que promoveram os protestos na Praça da Paz Celestial, em 1989.

Os manifestantes reclamavam dos excessos de repressão e corrupção do governo e tiveram seus atos suprimidos pelo exército chinês. A obra, que foi produzida inteiramente em segredo, foi publicada em em maio de 2009, cinco anos após a morte do ex-líder chinês.

Fonte: Exame/Abril

Próxima notícia

Dê sua opinião: