Polícia

Mãe, pai e avós são presos suspeitos de matar bebê queimado em ritual

A família havia relatado que o bebê foi sequestrado na Praça da Bandeira, mas essa hipótese foi descartado pela polícia

Da Redação

Terça - 22/02/2022 às 07:36



Foto: Divulgação Wesley Ferreira
Wesley Ferreira

Foram presos na noite dessa segunda-feira (21), o pai, a mãe e os avós paternos de Wesley Carvalho Ferreira, de 1 ano e 10 meses, desaparecido desde o dia 29 de dezembro de 2021. Eles são suspeitos de matar a  criança queimada durante um ritual. 

"A Polícia Civil descarta já a hipótese de sequestro da criança e trabalha com outras linhas de investigação. Uma dela é que a família da vítima ficou em jejum duas semanas, orando, e depois sacrificou essa criança colocando fogo no seu corpo”, disse o delegado Matheus Zanatta, Gerente de Polícia Especializada.

À princípio, a mãe do bebê, Ângela Valéria Ferreira, relatou que estava com o esposo e o filho na Praça da Bandeira, no Centro de Teresina, quando criminosos armados sequestraram o menino no dia 29 de dezembro do ano passado. O que chamou a atenção é que somente no dia 09 de fevereiro de 2022, o caso foi denunciado à Polícia Civil.

A polícia só teve conhecimento do caso porque uma irmã de Ângela, tia de Wesley, foi visitá-lo  e descobriu que os pais mudaram de endereço. A mulher conseguiu o novo endereço e ao chegar na casa não encontrou o menino. Foi quando Ângela relatou a história do sequestro e a tia foi denunciar o caso 42 dias depois.

No decorrer das investigações, a Polícia Civil encontrou indícios de homicídio com ocultação de cadáver e descartou a hipótese de sequestro. De acordo com o delegado Matheus Zanatta, a Justiça expediu  quatro mandados de prisão temporária contra o pai, a mãe e os avós de Wesley Ferreira. Os presos foram levados para a Central de Flagrantes. 

Com as prisões, a polícia tenta entender o que aconteceu exatamente e chegar até o local onde a criança foi sacrificada. O corpo de Wesley não foi encontrado.

Notícias relacionadas:

Bebê está desaparecido há quase 2 meses em Teresina e família denuncia sequestro

Polícia não descarta homicídio e ocultação de cadáver de bebê que sumiu em Teresina

Siga nas redes sociais

Compartilhe essa notícia: