PUNIÇÃO

Policiais presos na Operação Dictum serão expulsos, diz secretário de Segurança

Fábio Abreu concorda com a opinião do Comandante Lindomar Castilho pela expulsão dos policiais presos


Comandante da Polícia Militar do Piauí, coronel Lindomar Castilho

Comandante da Polícia Militar do Piauí, coronel Lindomar Castilho Foto: Paulo Pincel

O secretário de Segurança do Piauí, Fábio Abreu e o comandante da Polícia Militar do Estado, coronel Lindoar Castilho, defenderam a expulsão dos policiais militares e civis presos nesta segunda-feira (02), através da Operação Dictum.

A organização criminosa desarticulada na operação invadiam residências, bocas-de-fumo para tomar entorpecentes para revender a outros traficantes. Eles também tomavam dinheiro, armas roubavsm cargas de cigarro para revender a comerciantes.

Em entrevista coletiva, o secretário de Segurança pediu rigor nas punições que devem ser aplicadas aos presos. 

“A corregedoria vai tomar providências no sentido de expulsar, contamos com o Poder Judiciário para ser rigoroso nas punições dos crimes que essa quadrilha formava aqui em nosso estado”, disse Fábio Abreu.

16 mandados de busca e apreensão foram expedidos pelo juiz Luís Henrique, da Central de Inquéritos e, até o momento, treze homens foram presos acusados dos crimes de extorsão, associação criminosa, roubo de carga, pistolagem, homicídio, tráfico de drogas e comércio ilegal de arma de fogo.

“Eles vinham agindo em conjunto e de forma habitual para praticar, principalmente roubos. Quem eram os alvos dos roubos? Os traficantes! Os policiais entravam nas casas dos traficantes, roubavam dinheiro, droga, arma e revendiam essa droga”, revelou o delegado geral da Polícia Civil do Piauí, Luccy Keiko.

DELEGADO AMEAÇADO

De acordo com o chefe da PC-PI, as cargas de cigarro eram roubadas em Teresina e região do município de Altos, a 38 quilômetros da capital. Luccy Keiko contou ainda que o delegado Tales Gomes, titular do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO) chegou a ser ameaçado por um dos policiais presos na operação.

Delegado Tales Gomes, do GRECO

“Alguns desses policiais já eram conhecidos do GRECO, já tinham sido presos em outras operações e quando nós tivemos conhecimento da dimensão dessa organização criminosa começamos uma investigação, que teve o apoio da Secretaria de Segurança Pública, da Delegacia Geral, do próprio Ministério Público. Digo isso porque um dos policiais que já havia sido preso esse ano chegou a ameaçar o delegado Tales e nós não nos intimidamos com esse tipo de ameaça”, contou.

ÁUDIOS

Em áudios divulgados pela SSP-PI, os policiais combinam diversos serviços e revelam valores de até R$ 30 mil para cometer assassinato, R$ 10 mil para dar 'surra' em desafetos, dizem estar com 'saudades de matar', negociam armas, entre outras práticas.

LIMPEZA

Dictum, que leva o nome da operação realizada hoje, vem do latim e significa limpeza. Para o Comandante Geral da PM-PI, Lindomar Castilho, a Operação está limpando a Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-PI).

“É uma tarefa difícil porque investigar colega não é fácil, para nós da PM não é fácil, é até uma vergonha ter que estar apresentando nome de policial envolvido com crime, mas temos que ser prático e profissional, trabalhando em favor dos bons policiais”, disse.

Para o Comandante, os acusados devem ser expulsos da corporação.

“O que nos resta agora é apurar a conduta de cada um deles em processo administrativo, iremos abrir Conselho de Disciplina para cada um desses policiais militares e, ao final, com certeza, estando provada a culpa de cada um, não há outro caminho que não seja a exclusão desses policiais”, afirmou.

PRESOS

A Secretaria de Segurança Pública divulgou no início da tarde de hoje o nome dos policiais presos até o momento. 

São eles Genildo Vieira da Silva, Francisco das Chagas Lima Trindade, Helido Cunha de Sousa, Bruno Costa de Oliveira, Antônio Lopes Rosa, Rafael dos Santos Leal, Marcelo Ribeiro Rocha, Percyvall de Oliveira Ferreira, Lourival Ferreira de Carvalho Neto, Ellisson Costa Vieira, Erasmo de Morais Furtado, José Afonso Santos e Silva e Wanderley Rodrigues da Silva, vulgo W.Silva. 

Policiais acusados de crime organizado no Piauí

Próxima notícia

Dê sua opinião: