MOROGATE

Condenação de Lula foi jogo de cartas marcadas de Moro e Dallagnol, diz governador Flávio Dino

Para ele, são muito graves as denúncias contidas em ampla reportagem publicadas pelo site Intercept Brasil


Governador do Maranhão, Flávio Dino

Governador do Maranhão, Flávio Dino Foto: João Albert

O ex-juiz federal e atual governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), foi direto ao ponto principal do escândalo que surgiu hoje no Brasil e já foi batizado de MOROGATE. Segundo ele, está demonstrado que Lula é preso político e a condenação e prisão dele foi um "jogo de cartas marcadas" entre o então juiz Sérgio Moro e o chefe da Lava Jato no MPF/PR, procurador Deltan Dallagnol

Para ele, são muito graves as denúncias contidas em ampla reportagem publicadas pelo site Intercept Brasil. Eles mostram que o então juiz Sérgio Moro, hoje ministro da Justiça de Jair Bolsonaro, e Deltan Dallagnol, combinaram todo o roteiro e a trama para condenar e prender Lula para evitar que o PT ganhasse a eleição presidencial e voltasse ao Palácio do Planalto pelo voto. Lula era um candidato imbatível em 2018, segundo todas as pesquisas eleitorais.


NOTA DA DEFESA DE LULA - Em matéria do UOL, Folha da revista Época (Grupo Globo) tentando amenizar o impactos da explosiva reportagem do Intercept, falam de "um suposto" troca de mensagens combinando a armação contra Lula e o PT. Os nomes de desembargadores do TRF-4 e do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF) foram envolvidos nessa trama contra Lula.


De acordo UOL, advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmaram em nota que as mensagens privadas trocadas entre o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sergio Moro, e o coordenador da Força-Tarefa da operação Lava Jato, o procurador Deltan Dallagnol, revelam uma atuação combinada com o objetivo de condenar o petista.

As mensagens foram divulgadas hoje pelo site "The Intercept Brasil". Nas conversas, ao longo de dois anos, Moro sugeriu que o procurador trocasse a ordem de fases da Lava Jato, para "não ficar muito tempo sem operação", deu conselhos e pistas informais de investigação e antecipou uma decisão que ele ainda não havia tornado pública.

Fonte: Instagram do governador Flávio Dino com informações do Intercept Brasil e Uol

Próxima notícia

Dê sua opinião: