POLÊMICA

Prefeito de Porto Alegre do Piauí diz que bolo custou R$ 24 mil porque foi no metro

O prefeito emitiu uma nota de esclarecimento para tentar explicar a compra do bolo de 26 metros


Bolo de 26 metros custou R$ 24 mil

Bolo de 26 metros custou R$ 24 mil Foto: Divulgação

Após grande repercussão da matéria sobre a Prefeitura de Porto Alegre do Piauí gastar R$ 24 mil com a compra de um bolo para comemorar o aniversário da cidade, o prefeito Márcio Neiva se pronunciou por meio de nota. Segundo o prefeito, a imagem do bolo que foi divulgada pela imprensa não corresponde ao bolo que foi encomendado por R$ 24 mil. 

O bolo de R$ 24 mil, segundo o prefeito, era confeitado, pesava 350 quilos e tinha 26 metros de comprimento. A cidade completou 26 anos de emancipação política no dia 14 de dezembro. 

"As imagens divulgadas e que circulam em redes sociais foram apenas da parte do bolo na qual consta a decoração com o nome “PORTO ALEGRE”, dando a impressão de tratar-se da real dimensão do bolo, quando na verdade foi produzido um bolo confeitado com 26 metros de comprimento, pesando mais de 350kgs que foram distribuídos entre a população que participou da solenidade em alusão ao aniversário de 26 anos de emancipação política do município.

Confira a nota de esclarecimento!

O prefeito ainda divulgou uma imagem de parte do contrato em que mostra todas as especificações do bolo. O prefeito se contradiz quando diz que o bolo tinha 350 quilos, pois no contrato mostra que o bolo teria 250 quilos. 

O portal Piauíhoje.com divulgou a matéria em primeira mão nessa quarta-feira (15) e a foto principal mostrava o prefeito Márcio Neiva e seus convidados na frente do bolo. Confira a foto:

No entanto, a Prefeitura de Porto Alegre do Piauí emitiu uma nota para mostrar que o bolo que custou R$ 24 mil era extenso e enviou as fotos para mostrar à população. 

Nota da redação:

A nota de esclarecimento divulgada pela Prefeitura de Porto Alegre do Piauí explica, mas não justifica. Tem coisa mais importante para se gastar R$ 24 mil em um município pobre. Além do mais, não é plausível no Brasil se comprar bolo no metro. O Tribunal de Contas do Estado precisa mandar uma equipe de fiscalização para verificar "in loco" outras estripulias da Prefeitura de Porto Alegre do Piauí com dinheiro público, porque o Diário Oficial dos Municípios está cheio de compras feitas pelos gestores daquele município com dispensa de licitação.

Notícia relacionada: 

Prefeitura do interior do Piauí paga R$ 24 mil por bolo de aniversário da cidade

Próxima notícia

Dê sua opinião: