15 DE OUTUBRO

Dia do Médico: diretor fala sobre desafios da pandemia em hospital de campanha de Teresina

Entre outros temas, o médico Hormone Oliveira relembrou casos marcantes de pacientes que atendeu desde o início da pandemia


Hormone Oliveira, diretor do Hospital de Campanha Padre Pedro Balzi em Teresina

Hormone Oliveira, diretor do Hospital de Campanha Padre Pedro Balzi em Teresina Foto: Piauihoje.com

O 18 de Outubro no Brasil é marcado com o Dia do Médico. A data tem origem cristã, uma vez a igreja Católica celebra o Dia de São Lucas, santo que em vida foi médico, motivo pelo qual é tido como padroeiro destes profissionais.

Em 2020, por conta da pandemia do novo coronavírus, as funções, rotinas, profissões, economia, política, todas as instâncias da vida humana na terra passaram por mudanças. Os médicos no Brasil vêm lidando com esta nova doença há pelo menos oito meses, enfrentando desafios, amargando perdas, vitórias e obtendo, claro, novos aprendizados.

Hoje o Piauí conta 106.200 casos confirmados do novo coronavírus, distribuídos em todos municípios piauienses; e 2.286 óbitos registrados em 178 cidades. Até agora, morreram 1.326 homens e 960 mulheres. A média de mortes dos últimos sete dias em números absolutos é de 10 e de casos confirmados é de 561, 7.

O Piauihoje.com conversou com Hormone Oliveira, diretor do Hospital de Campanha Padre Pedro Balzi, instalado pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) com o objetivo de atender os pacientes com o Sars-Cov-2, nome científico do coronavírus. Ele respondeu algumas perguntas em vídeo, mas que fizemos questão de transcrever e podem ser lidas logo abaixo.

No vídeo, Hormone relembra casos marcantes de pacientes que atendeu desde o início da pandemia, fala que a medicina adquiriu um novo significado e revela que a taxa de ocupação de leitos em Teresina vem diminuindo nos últimos dias, o que significa menos pessoas sendo infectadas pelo coronavírus na capital.

Para entender melhor a realidade do combate à Covid-19 no Piauí, a reportagem também tentou o mesmo procedimento com o médico infectologista José Noronha, diretor do Hospital de Doenças Tropicais Natan Portella e membro do Comitê de Operações Especiais contra o coronavírus no Piauí. Foi feito contato através da assessoria de comunicação da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), mas não houve o retorno esperado.

Entrevista com Hormone Oliveira

PIHJ - Do que trata sua especialidade médica?

HO - Meu nome é Hormone Oliveira, sou médico-cirurgião. Sou diretor do Hospital de Campanha Padre Pedro Balzi, da Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina.

PIHJ - Comente os principais desafios e aprendizados com o Hospital de Campanha durante a pandemia.

HO - Estou na direção desse hospital desde o início do projeto quando ainda não havia aparelhos. Aprendi muito e estou até hoje, já tem mais ou menos cinco ou seis meses que estou nessa direção. Aprendi demais, principalmente no sentido de poder salvar, de forma mais amplificada quantidade de vidas dentro de um surto de pandemia. Me sinto gratificado sendo diretor do hospital de campanha nesse cenário.

PIHJ - Relembre um caso positivo de paciente recuperado que lhe marcou e outro de alguém que partiu em razão do novo coronavírus.

HO - A respeito de casos positivos que eu possa ter tratado sobre Covid nesses meses, eu me lembro muito bem de uma fisioterapeuta que tinha total noção de sua doença, viu a evolução de sua doença correr para a gravidade, ficar prestes a ser entubada e ir para a sala de estabilização, precisar ir para a UTI e comunicar isso para ela não foi tão fácil, mas com manobras de fisioterapia, com o tratamento correto da doença, com cerca de 24h ela deu uma reviravolta no quadro clínico, melhorou bastante e com três ou quatro dias teve alta do hospital.

A respeito de um desfecho, de um caso que teve desfecho negativo e que me marcou muito, não foi dentro do Hospital de Campanha, mas é sobre um amigo, um diretor clínico do SAMU, amigo pessoal, que esteve à frente também no começo desse surto de pandemia, o Dr José Ivaldo, não só deixou muita saudade, mas também muita tristeza e foi um exemplo para todos nesse combate.

Leia mais: Diretor clínico do SAMU morre vítima da Covid-19 em Teresina

PIHJ - O Piauí viu crescer a taxa de mortes por Covid-19 nas duas últimas semanas. Qual a sua avaliação?

HO - O Piauí viu esse aumento da taxa de óbitos nas duas últimas semanas por conta da Covid-19, mas temos de ter muito cuidado com os números nesses casos, principalmente considerando que somos um Estado muito heterogêneo e grande, temos um terço da população em Teresina, dois terços no interior e esse surto não assola todo mundo de uma vez, esse aumento pode ser alguma variável. Não há nada que possamos falar sobre o Estado, já sobre Teresina a quantidade de leitos ocupados cada dia diminui mais.

PIHJ – Em razão da pandemia do novo coronavírus, o Dia do Médico ganha um outro sentido, qual?

Sobre o Dia do Médico em 2020, né, é um dia muito especial, diferente de todos os outros. O ano de 2020, estamos em pandemia, estamos com um quadro na humanidade de uma doença não tinha precedentes. Os médicos estiveram a frente, tivermos perdas, teve muito medo, teve muita incerteza e nós médicos que não somos preparados para assumir o papel de arriscar a própria vida como um soldado do exército precisamos pegar isso pra gente e depois de tanta ter acontecido chega o Dia 18 de Outubro, Dia do Médico e ficam algumas lições.

As principais lições para mim é que tivemos um aprendizado que vem desde o começo do curso de Medicna e reforçado em 2020 que nossa profissão é um sacerdócio, a gente tem que exercer essa profissão além das forças, a gente tem que fazer acontecer e dar um bom resulado para nosso paciente.

É um dia muito especial, desejo um Feliz Dia dos Médicos a todos, fico feliz de fazer parte desse grupo, que outros anos venham e de forma mais tranquila. Parabéns para todos os médicos.

Confira o vídeo:


O que é o COVID-19

COVID-19 é a doença infecciosa causada pelo coronavírus descoberto mais recentemente. Este novo vírus e doença eram desconhecidos antes do início do surto em Wuhan, China, em dezembro de 2019.

Como se proteger do coronavírus

- Lavar as mãos frequentemente por 20 segundos com água e sabão ou higienizá-las com álcool em gel;

- Cobrir o nariz e a boca com um lenço ou o cotovelo ao tossir e espirrar;

- Evitar contato próximo (um metro de distância) com pessoas que não estejam bem;

- Ficar em casa e se isolar das outras pessoas que moram com você caso apresente os sintomas da doença.

Sintomas do COVID-19

Os sintomas mais comuns do COVID-19 são febre, cansaço e tosse seca. Alguns pacientes podem ter dores, congestão nasal, corrimento nasal, dor de garganta, diarreia, perda do olfato e paladar. Esses sintomas geralmente são leves e começam gradualmente. Algumas pessoas são infectadas, mas não desenvolvem sintomas e não se sentem mal.

A maioria das pessoas (cerca de 80%) se recupera da doença sem precisar de tratamento especial. Cerca de 1 em cada 6 pessoas que recebe COVID-19 fica gravemente doente e desenvolve dificuldade em respirar.

As pessoas idosas e as que têm problemas médicos subjacentes, como pressão alta, problemas cardíacos ou diabetes, têm maior probabilidade de desenvolver doenças graves.

Pessoas com febre, tosse e dificuldade em respirar devem procurar atendimento médico.

Quem é do grupo de risco

Idosos e pessoas com condições médicas pré-existentes (como pressão alta, doenças cardíacas, doenças pulmonares, câncer ou diabetes) parecem desenvolver doenças graves com mais frequência do que outros.

Serviço ao leitor

Baixe aplicativo Monitora Covid 19 através do Play Store ou Appe Store, localizando "Monitora Covid 19". Coloque nome, CPF e endereço no cadastro e você poderá falar com médicos de várias especialidades.

Pelo aplicativo Monitora Covid 19, você também poderá fazer consulta e ser atendido de forma virtual ou, se necessário, presencial qualquer dia da semana e qualquer hora, na rede de saúde publica e privada, em qualquer cidade do Piauí. O serviço funciona 24 horas.

Acesse

Para mais informações sobre a Covid-19 e como enfrentar a doença baixe e acesse link abaixo:

http://coronavirus.pi.gov.br

Próxima notícia

Dê sua opinião: