AMIGOS

Amizade no ambiente de trabalho motiva funcionários

Psicóloga lembra que, em meio a pandemia, uma rede de amizade é vital


Amizade

Amizade Foto: Divulgação

A amizade é um dos vínculos mais importantes e significativos que estabelecemos. Ter com quem compartilhar experiências, segredos, confidencias, compreender as incertezas e falar o que precisamos ouvir é uma ação mágica. Uma pesquisa realizada pelo economista Andrew Oswald, da Universidade de Warwick, cruzou dados de amizade e aumento salarial e concluiu que ganhar um amigo equivale a receber R$ 134 mil a mais de salário anual.

A pesquisa também aponta que ter amigos no trabalho motivam sete vezes mais o profissional, deixando-o 50% mais satisfeito e até duas vezes mais contente com o salário. Além disso, as pessoas que têm três ou mais amigos no trabalho são 96% mais felizes.

De acordo com a coordenadora de Psicologia da Faculdade UNINASSAU Parnaíba, Vanessa Fragiacomo, a amizade tem um papel importante em nosso processo de desenvolvimento profissional e pessoal. "Quando criança, as amizades nos ajudam com a socialização, apresentação ao mundo e aprendizado das regras de comportamento. Na adolescência, a amizade faz parte do processo de identificação com os grupos, da descoberta de quem se é, ou ao menos de quem não se quer ser. Já na vida adulta cultivamos laços que, mesmo distantes, continuam nos apoiando", comenta a professora.

Segundo a psicóloga, a amizade pode ser compreendida como fator de proteção, é a rede de afeto no enfrentamento dos dissabores da vida. "Estamos vivendo num momento pandêmico em que uma rede de amizade é vital. O isolamento social está sendo o causador de muitos transtornos mentais como ansiedade, depressão, síndrome do pânico. Não nascemos para viver isolados, somos seres sociáveis, ou melhor, somos seres de vínculos", argumenta.

Uma das dicas que a psicóloga oferece é manter contatos com os amigos, através de mensagens, áudios ou ligação de vídeo para ajudar na manutenção da saúde mental.

Fonte: Sariny Marques Leao

Próxima notícia

Dê sua opinião: