Greve entra no 3º dia e deixa milhares de teresinenses a pé

Patrões agora exige que empregados cumpram jornada dupla de trabalho


Usuários aguardando o ônibus na avenida Frei Serafim

Usuários aguardando o ônibus na avenida Frei Serafim Foto: Alinny Maria

A população de Teresina vai enfrentar o terceiro dia seguido sem ônibus nesta quarta-feira (6). Não houve acordo entre os sindicatos de motoristas e cobradores e dos donos das empresas de ônibus que fazem o transporte público urbano na capital.

Além de não apresentar uma nova contraproposta elevando os 4% oferecidos à categoria, o Setut exigiu que os empregados passem a cumprir jornada dupla de trabalho para cobrir as demissões que pretende fazer nos próximos meses.

O presidente do Sindicato dos Motoristas, Fernando Feijão, afirmou que o Setut quer que os trabalhadores cumpram dupla jornada, em dois turnos, manhã e tarde, "situação que os trabalhadores já tinha rejeitado. Agora eles colocam uma proposta de salário de 4% e para piorar querem reduzir mais a frota. Quer que o trabalhador fique em dois turnos para demitir uma quantidade e sacrificar quem ficar. A greve continua. É inaceitável uma proposta dessa".

Os sindicalistas não aceitaram as propostas dos patrões e decidiram manter a greve, que deixa milhares de teresinenses sem transporte. Os que ainda podem pagar mototaxis, taxis e transporte via aplicativos estão sendo explorados.

Somente 30% da frota de ônibus está circulando. A categoria reclama um reajuste de 8,5% e aumento da frota de ônibus em circulação. Uma nova rodada de negociação na Justiça do Trabalho vai acontecer nesta quarta-feira.

“Hoje houve o impasse. Cada um saiu com a ideia do que o outro pretende e amanhã não temos a esperança de acabar a greve pela manhã, mas as categorias devem refletir e talvez a tarde saia uma continuação das negociações”, adiantou o desembargador Manoel Edilson Cardoso, mediador da negociação.  A presidente do TRT, Liana Chaib, também participou da tentativa de acordo. 

A Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (Strans) cadastrou 78 transportes alternativos para circular em Teresina durante a greve do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Rodoviários de Teresina (Sintetro).

Os passageiros reclamam porque as vans e ônibus cadastrados não aceitam o cartão de passe e assim não conseguem realizar a integração.

Fonte: Paulo Pincel

Próxima notícia

Dê sua opinião: