BEBIDA

Ambev apresenta a “Berrió”, a nova cerveja feita com caju e em homenagem ao Piauí

A cerveja estará disponível para comercialização em todo o estado a partir de novembro


Berrió, a cerveja totalmente piauiense feita a partir do caju

Berrió, a cerveja totalmente piauiense feita a partir do caju Foto:

Ambev, uma das maiores produtoras de bebidas do mundo, apresentou nesta segunda-feira (19)  à imprensa do Piauí," Berrió", cerveja que tem o caju como um dos principais ingredientes. O evento aconteceu na sede da filial da Ambev no Piauí, na Avenida Wenry Wall de Carvalho,  na Zona Sul de Teresina.

A cerveja homenageia o Piauí e chega aos supermercados, bares, restaurantes, distribuidoras e postos de revendas em novembro, sendo mais uma opção para os apreciadores desse tipo de bebida.

"É uma cerveja inspirada na identidade e tradições do povo piauiense. A bebida, que leva na sua composição o caju produzido no estado, é uma novidade que promete refrescar os dias quentes do Piauí", destaca o gerente de marketing de Berrió, Leandro Thot.

O nome Berrió foi inspirado na expressão  piauiense B-R-O BRÓ, uma alusão ao período mais quente do ano no estado, que vai do mês de setembro a dezembro. Nesta época, a temperatura oscila este 38 e 40 graus celcius.

De acordo com a Ambev, foram compradas 240 toneladas de caju de mais 600 famílias de agricultores familiares dos municípios de Monsenhor Hipólito, Francisco Santos, Pio IX, Canto do Buriti e Campo Grande do Piauí. Assim, todo o investimento da Ambev se transforma em um projeto social focado no pequeno produtor.

A Berrió é pilsen, portanto uma cerveja leve, menos encorpada. Seu teor alcoólico é de 4,4%. Ela será disponibilizada aos consumidores em garrafas retornáveis de 600 ml e em latas de 350 ml.

“A Berrió é uma cerveja piauiense do campo ao copo. O caju é produzido por agricultores locais, e a produção da cerveja acontece na Cervejaria de Teresina”, explica Lanessa Vieira, supervisora do setor agronômico da AMBEV e uma das responsáveis pela implantação do projeto.

A produção da nova cerveja movimenta a economia do estado e gera novas perspectivas para a cadeia produtiva do caju.



(*) Rafaela Leal é estagiária sob supervisão do jornalista Luiz Brandão

Próxima notícia

Dê sua opinião: