TURISMO

As tendências do turismo pós pandemia

O setor de turismo foi um dos mais afetados pelo isolamento social, mas já começa a dar sinais de retomada. Saiba quais as tendências do turismo pós pandemia.


Turismo

Turismo Foto: Divulgação

O setor de turismo foi um dos mais afetados pelo isolamento social, mas já começa a dar sinais de retomada. Saiba quais as tendências do turismo pós pandemia.

Pontos turísticos ao redor do mundo passaram um bom período sem receber visitantes por medidas de isolamento social, consequência da pandemia do novo coronavírus. Não à toa, o turismo é um dos setores mais atingidos da economia, causando preocupação em países que tem nesse ramo uma importante fonte de renda.

Enquanto muitas nações dão os primeiros passos no retorno das atividades, já existem estudos que apontam quais são as tendências do turismo pós pandemia. Em comum, eles definem que viajar deve ser um pouco diferente daquilo que estávamos acostumados. Confira alguns tópicos importantes.

Foco no turismo interno

Países que estão saindo do isolamento nesse momento ainda não tem uma data para a reabertura de suas fronteiras para visitantes de outras partes do mundo. Por isso, a tendência do turismo no Brasil e no mundo é que haja um enfoque nas atividades internas. Ou seja, os moradores de um país serão aqueles que visitarão as cidades e pontos turísticos do território.

A Itália, por exemplo, já estuda formas de incentivar o turismo entre seus cidadãos, seja com auxílios em dinheiro ou descontos em estabelecimentos. Para o país europeu, que está com a doença relativamente controlada, o turismo interno é a melhor forma de manter esse segmento tão importante da economia aquecido.

Os brasileiros que já tinham comprado uma passagem de avião para outro país, provavelmente, terão que esperar uma volta oficial das atividades para embarcar. A maioria das companhias aéreas têm permitido a remarcação ou a liberação de um voucher que o viajante poderá utilizar no prazo de um ano. Para quem tem pressa em viajar, utilizar o voucher para viagens internas pode ser uma boa solução.

Roteiros e preparação pela internet

Graças à pandemia, as formas como nos relacionamos com outras pessoas e empresas mudou consideravelmente. Muitas atividades, que antes eram feitas pessoalmente, passaram para o mundo virtual. Isso deve continuar mesmo quando o turismo voltar ao normal.

Alguns exemplos práticos são a compra de ingressos para o roteiro. É possível que, nos próximos anos, haja uma limitação no número de visitantes de uma atração, o que faz com que a compra antecipada pela internet seja fundamental para garantir a entrada.

Além disso, o aprendizado de um idioma também deve mudar. Digamos que você queira aprender espanhol para viajar [1], ao invés de frequentar uma escola presencial, pode preferir uma metodologia online, seja com vídeo aulas ou com aplicativos focados no ensino de idiomas. Para a plataforma Babbel, as grandes vantagens de aprender online é a acessibilidade, flexibilidade e a relação custo-benefício.

Imagem de Babbel

Menor ocupação em todos os ambientes

Se os pontos turísticos terão uma queda no número de visitantes aceitos, certamente outros ambientes passarão pela mesma adaptação. A tendência é que haja uma menor ocupação de quartos de hotel, poltronas de ônibus e assentos de avião. Dessa forma, será possível oferecer um espaço maior entre um viajante e outro.

Justamente por isso, as excursões que permitiam conhecer várias cidades em uma viagem de 15 ou 20 dias também devem diminuir o número de passageiros, além dos lugares a serem visitados. Ainda não se sabe o quanto o preço dos serviços que envolvem uma viagem deve ser afetado por contarem com menos usuários.

Sem eventos grandiosos – por enquanto

Neste ano, o Carnaval movimentou o setor do turismo com índices recordistas em diversas capitais brasileiras [2]. Essa perspectiva não pode ser considerada para o ano que vem já que, mesmo que as viagens voltem a acontecer, os eventos de grande porte tendem a ficar de lado por um período maior.

Para 2020, festas e shows que costumam atrair o grande público em todo o mundo seguem esperando por uma nova data. Até lá, os músicos tentam se adaptar às lives, para manter o público engajado e fazer com que as pessoas se divirtam dentro de casa.

Retomada lenta, mas focada na saúde

Por mais que viajar seja uma paixão para milhares de pessoas, o momento exige um foco maior na saúde. A verdade é que o turismo precisará se adaptar de diferentes formas, mas as viagens devem voltar a acontecer em uma retomada lenta.

Imagem de rawpixel.com por Freepik

Enquanto isso não acontece, a dica é pesquisar bastante sobre o destino dos seus sonhos, aprender mais sobre a cultura, treinar o idioma para conversar com os locais e se preparar para colocar o pé nas estrada (ou as malas no avião) quando os órgãos reguladores da saúde aprovarem esse tipo de atividade.

Fontes:

[1] Aprender espanhol para viajar. Babbel. https://pt.babbel.com/curso-de-espanhol-online

[2] Carnaval movimentou o setor do turismo. Diário da Amazônia. https://www.diariodaamazonia.com.br/carnaval-2020-movimentou-setor-do-turismo-por-recordes/

Próxima notícia

Dê sua opinião: