OLHE DIREITO

Deu bode!

O Piauí, com muito orgulho, é o segundo produtor brasileiro de caprinos, em quantidade de cabeças, com mais de 1,8 milhão de animais


Caprino

Caprino Foto: Reprodução

O IBGE concluiu recentemente o Censo Agropecuário. Além de fundamental e imprescindível instrumento para as políticas públicas, essa ferramenta censitária pode ser um lugar para os curiosos em geral, para os que gostam, por exemplo, de ver listas dos maiores produtores disso ou daquilo. Eu me detive em olhar a produção da caprino-ovinocultura de nosso Estado.

O Brasil, registra o Censo Agropecuário, feito em 2017, aproximadamente 8,2 milhões de cabeças de caprinos e 13,8 milhões de ovinos. Aí, a grande novidade: o Piauí que ocupou por longo tempo o terceiro lugar no ranking dos maiores criadores brasileiros de cabras, bodes e cabritos, agora está na segunda colocação, ultrapassando Pernambuco. A Bahia manteve a sua primeira posição.

O Piauí, com muito orgulho, é o segundo produtor brasileiro de caprinos, em quantidade de cabeças, com mais de 1,8 milhão de animais – à frente de Pernambuco, que tem 1,4 milhão e um pouco atrás da Bahia, que registra 2,3 milhões de cabeças.

O Estado também avançou na criação de ovelhas e carneiros. O nosso rebanho ovino é o quarto maior do Brasil, com mais de 1,6 milhão de cabeças, à frente de Estados maiores, como Pernambuco (1,1 milhão) e colado no terceiro colocado, o Ceará, que cria 1,8 milhão de ovelhas e carneiros.

Esse avanço na criação de caprinos e ovinos no Piauí é uma notícia boa em variados aspectos: representa ganhos para produtores pequenos em regiões como o nosso semiárido, o uso de raças com maior rendimento de carne, mais importância dessas criações na economia rural e oportunidades crescentes, por exemplo, para jovens que podem e devem fazer parte de um grande nicho de mercados, que é da produção de um tipo de carne saudável.

O aumento da participação de caprinos na pecuária do Piauí e mim me parece também uma série de outras possibilidades, como a de se ter o desenvolvimento de empresas voltadas para o processamento da carne ou de criadores que diversifiquem suas atividades, direcionando-as para a produção de leite e derivados de cabras e ovelhas.

Olhar o Censo Agropecuário de 2017 e perceber que há no Piauí cada vez mais criadores de caprinos me dá também uma certeza: a de que devemos superar aquela ideia antiga do Piauí tendo como bandeira um couro de bode. Podemos, sim, ter nossa bandeira estampada nesse tipo de couro e isso nos faz maiores, nunca, jamais, inferiores. Tenho e espero que muitos também se orgulhem de viver em um Estado grande criador de caprinos e ovinos!

Álvaro Fernando da Rocha Mota é advogado. Procurador do Estado. Ex-Presidente da OAB-PI. Mestre em Direito pela UFPE. Presidente do Instituto dos Advogados Piauienses.

Próxima notícia

Dê sua opinião:

Sobre a coluna

Álvaro Mota

Álvaro Mota

Procurador do Estado e mestre em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE. Álvaro também é presidente do Instituto dos Advogados Piauienses.

Fique conectado

Inscreva-se na nossa lista de emails para receber as principais notícias!

*nós não fazemos spam

Enquete

O STF deve afastar Deltran Dallagnol da chefia da Lava Jato?

ver resultado