Campanha contra a gripe irá vacinar mais de 150 mil pessoas


Vacina

Vacina Foto: Reprodução

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, também conhecida como gripe, se inicia na próxima segunda-feira (04) e se estende até o dia 22 de maio. A meta da Prefeitura de Teresina é vacinar neste período 152.358 pessoas, dentro do público-alvo contra a doença.

Na capital, a campanha está sendo organizada pela Fundação Municipal de Saúde (FMS). Todas as 104 salas de vacina de Unidades Básicas de Saúde e hospitais estarão imunizando pessoas com 60 anos ou mais de idade, crianças na faixa etária de seis meses a menores de cinco anos de idade (quatro anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, entre outros. Os trabalhadores de saúde também terão direito à vacina a partir do dia 18 de maio.

“Teremos também postos volantes de vacinação nos supermercados e shoppings da cidade para que o público-alvo possa garantir sua dose”, afirma Amariles Borba, diretora de Vigilância em Saúde da FMS. No dia 9 de maio, será promovido ainda grande dia D de mobilização contra a influenza, tendo como ponto principal a Unidade Básica de Saúde do Planalto Uruguai, zona Leste.

Amariles Borba alerta para a importância da imunização, que é uma medida efetiva para a prevenção das complicações trazidas pela influenza. As doses são compostas pelos antígenos contra os três vírus mais comuns, que são os causadores de gripe A (H1N1 e H3N2) e B. “Existem evidências de que a vacinação reduz em pelo menos dois dias o tempo de hospitalização, um benefício substancial tanto do ponto de vista individual, como para a sociedade”, destaca a diretora.

A influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. É de elevada transmissibilidade e distribuição global, com tendência a se disseminar facilmente em epidemias sazonais. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém contaminadas por secreções respiratórias pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz.
Próxima notícia

Dê sua opinião:

Sobre a coluna

Álvaro Mota

Álvaro Mota

Procurador do Estado e mestre em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE. Álvaro também é presidente do Instituto dos Advogados Piauienses.

Fique conectado

Inscreva-se na nossa lista de emails para receber as principais notícias!

*nós não fazemos spam

Enquete

Diante dos últimos acontecimentos, qual Poder está em mais descrédito?

ver resultado