CUT-PI reafirma a luta contra a Reforma da Previdência durante Audiência Pública


Audiência Pública

Audiência Pública Foto: Ascom

CUT-PI se fez presente durante uma audiência pública, realizada na manhã desta terça (30/04), no auditório do Sindicato dos Trabalhadores (as) Rurais, do município de União/PI, que teve como pauta a Reforma da Previdência. A central foi representada pela Vice-Presidente Odeni de Jesus, acompanhada pela Assessora de Comunicação. A citada audiência foi requerida pelo Vereador Manoel Cecílio (PT), atendendo a solicitação do Presidente do Sindicato dos Trabalhadores e das Trabalhadoras Rurais de União/PI - Laurentino Martins e da Diretoria do sindicato. A audiência reuniu trabalhadores (as) rurais dos municípios de União, José de Freitas, Lagoa Alegre, Miguel Alves e Teresina-PI. Contou com representantes da OAB – Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Piauí, Dra. Ravenna Araújo e Dr. Newton Lopes e Assessoria Jurídica do sindicato, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Rural e da FETAG-PI.  Mais de 200 trabalhadores (as) participaram da audiência, que teve como objetivo esclarecer sobre os possíveis danos da reforma da previdência (PEC 06/19) e a MP 871/19 caso a mesma seja aprovada no congresso nacional.

Audiência Pública

 Manoel Cecílio, vereador (PT) requerente da audiência lamentou a ausência dos demais vereadores num momento tão importante junto aos trabalhadores e trabalhadoras rurais, segundo ele “É mais que uma obrigação de um vereador estar presente junto aqueles (as) que precisam de sua representatividade, nós precisamos fazer um debate profundo para que as pessoas possam compreender o tamanho do prejuízo se essa reforma da previdência vier a ser aprovada no contexto que ela se encontra agora, nossa classe trabalhadora  rural  será a  mais prejudicada,  por ser a classe mais humilde, onde as mulheres agora são alvos nessa situação, porque todos nós sabemos que as trabalhadoras rurais se aposentam com 55 anos, e os homens com 60, e nessa proposta vem igualando essa idade, e sabemos que ainda há tantas outras categorias que estão sendo prejudicadas também, eu compreendo que a reforma da previdência se tem problemas com falta de dinheiro, não é a classe trabalhadora que tem que pagar por isso, se não há dinheiro que se busque alternativas, mas não tirando do suor da nossa classe trabalhadora, não concordamos com essa atitude, e por onde andarmos temos que colocar que não é justo tirar dinheiro dos trabalhadores e das trabalhadoras, porque nós sabemos que existem hoje outras oportunidades de se arrecadar dinheiro para a previdência, a maioria das pessoas não sabe que a maioria da arrecadação da previdência social é para pagar os benefícios previdenciários, e parte da arrecadação 30% ainda é investido em outras atividades, e porque não deixar esses 30% na própria previdência, e gerar empregos para que se possa ter contribuição?”.  Interrogou o vereador.

Audiência Pública

O vereador requerente da audiência, aprovada na câmara municipal de União, fez a sua ultima fala dizendo que “Esse é um momento que cada vereador (a) tem que fazer o seu papel, e eu estou cumprindo o meu, porque somos eleitos para representar o povo trabalhador”. Concluiu. 

Audiência Pública

Laurentino Martins, presidente do STTR-União-PI fez a abertura da audiência saudando a todos (as) e dizendo que “Nós precisamos reagir contra esses desmandos desse governo, essa reforma é uma afronta, segundo os estudiosos a previdência não tem déficit algum, o que estamos vendo é uma farsa do governo querendo tirar dos mais pobres, quem faz esse Brasil funcionar são os trabalhadores do campo e da cidade, e nós temos que nos posicionar contra essa reforma, perguntamos o porque não fazem a reforma administrativa, a reforma política, acredito que tem que ter uma reforma mais que seja feita dialogando com os trabalhadores, a previdência é um bem do povo brasileiro, que todos precisam, esse é um direito nosso, não só dos trabalhadores rurais, mais dos urbanos também, essa audiência nos traz um debate importante, e que nós temos que multiplicar onde nós estivermos em defesa dos nossos direitos”. Disse. 

Odeni de Jesus, vice-presidente da CUT-PI “Esse momento é muito importante, esse debate sobre a reforma da previdência é necessário, tendo em vista a falta de informações, ainda tem muita gente que acredita que nós estamos sendo privilegiados, devido ao discurso do governo, o que precisamos entender que a reforma da previdência não se trata apenas das aposentadorias, ela é algo maior, porque trata de todo o sistema de proteção social da classe brasileira, e é exatamente isso que o governo quer fazer, é tirar esse artigo da constituição federal de 88, que tem um capitulo que garante o sistema de repartição simples onde todos contribuem, seja o trabalhador, seja o patrão, o estado, para garantir a proteção social para os pobres, além de aumentar a idade, ela meche com muitos direitos dos trabalhadores, salários família, bolsa família, salários maternidade, acidentes de trabalho, dai a nossa preocupação com essa reforma da previdência, porque simplesmente o governo quer substituir um sistema de seguridade social, por um sistema de capitalização, e nesse sistema quem vai contribuir, é somente o trabalhador”. Citou.

Segundo Odeni, “Os bancos, as seguradoras, o capital internacional vão administrar, ai quando você for se aposentar é que vai ver o rendimento, resumindo, é a privatização da nossa previdência pública, e é por isso diante desse cenário, que a Central Única dos Trabalhadores é contra essa reforma da previdência, e mesmo com esse cenário, o 1º de maio será um momento histórico, onde todas as centrais sindicais no Brasil estarão unidas nas ruas, resistindo contra esse desmonte da proteção social do nosso pais, e nesse dia estaremos chamando para a greve geral no dia 14 de junho, contra esse governo que não representa os trabalhadores e trabalhadoras”. Concluiu.

Audiência Pública

Durante a audiência pública foi feito a exposição sobre a reforma da previdência, através da secretaria adjunta da comissão de direitos previdenciários da OAB-PI – Ravena Ribeiro, para que os trabalhadores rurais pudessem tirar algumas dúvidas, nas questões de aposentadorias por idade, dentre outros. Enquanto a audiência acontecia, os trabalhadores e as trabalhadoras rurais assinaram o abaixo assinado contra a reforma da previdência, no total foram mais de 250 assinaturas até o final do evento.

Dia 16 de Maio haverá uma audiência pública na OAB em Teresina-PI, 9 h.

Próxima notícia

Dê sua opinião:

Sobre a coluna

Socorro Silva

Socorro Silva

Socorro Silva é responsável pela Assessoria de Compra da CUT no Piauí

Fique conectado

Inscreva-se na nossa lista de emails para receber as principais notícias!

*nós não fazemos spam

Enquete

Diante dos últimos acontecimentos, qual Poder está em mais descrédito?

ver resultado