Saúde

Rio de Janeiro enfrenta surto de dengue

O número de casos registrados em todo o estado é equivalente a 80% dos casos notificados em 2023, quatro mortes pela doença já foram confirmadas.

Da Redação

Segunda - 19/02/2024 às 10:37



Foto: Divulgação O Aedes aegypti transmite dengue e chikungunya, também pode transmitir o vírus da zika
O Aedes aegypti transmite dengue e chikungunya, também pode transmitir o vírus da zika

O boletim semanal Panorama da Dengue, divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES-RJ) na sexta-feira (16), alarmou autoridades de saúde. O estado enfrenta um surto de dengue, com casos prováveis da doença atingindo um número seis vezes superior ao máximo esperado para esta época do ano, de acordo com dados dos últimos 10 anos.

Segundo o relatório, desde janeiro até 15 de fevereiro, foram registrados 41.252 casos de dengue em todo o estado, equivalente a 80% dos casos notificados em 2023. Quatro óbitos foram confirmados, sendo dois na capital, um em Mangaratiba e outro em Itatiaia.

O boletim, elaborado pelo Centro de Inteligência em Saúde (CIS) da SES-RJ, aponta que a tendência de aumento na transmissão de casos persiste pela nona semana consecutiva. O modelo de cálculo epidemiológico conhecido como nowcasting, utilizado no boletim, estima que mais de 25 mil novos casos devem ser registrados para o período analisado.

O indicador Excesso de Casos (EC) destaca as regiões Metropolitana I e Serrana como as mais afetadas, com 20 vezes e 5,6 vezes mais casos do que o esperado, respectivamente. As regiões Centro-Sul e Baía de Ilha Grande também apresentam números preocupantes.

A secretária de estado de Saúde, Claudia Mello, enfatizou a importância da colaboração da população para combater a proliferação do mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão da dengue. A SES-RJ tem oferecido apoio aos 92 municípios, incluindo treinamento de profissionais e envio de insumos.

"É importante que a população esteja junto conosco neste momento, adotando medidas para controlar e eliminar focos de dengue dentro de casa, onde se encontram 80% dos criadouros do mosquito", afirmou Claudia Mello em nota oficial.

Fonte: Agencia Brasil

Siga nas redes sociais

Compartilhe essa notícia: