IMUNIZAÇÃO

Representante da Anvisa diz que vacina Sputnik V não está inviabilizada no Brasil

O gerente-geral se referia à constatação, feita pela Anvisa, de que a vacina contém adenovírus que se replicariam no organismo


Sputnik V

Sputnik V Foto: Reuters

O gerente-geral de Medicamentos e Produtos Biológicos da Anvisa, Gustavo Mendes, disse que a negativa para a importação da vacina Sputnik V decidida pela agência nesta segunda-feira (26) não “inviabiliza” o uso do imunizante no país, pois a análise pode ser refeita com novos dados.

Mendes também afirmou, na terça-feira (27), aos deputados da comissão externa da Câmara que acompanham o combate à pandemia que, durante o processo de avaliação técnica, os representantes do Instituto Gamaleya, da Rússia, afirmaram não ter alguns dos dados solicitados.

O gerente-geral se referia à constatação, feita pela Anvisa, de que a vacina contém adenovírus que se replicariam no organismo, quando isso não seria permitido pelas regras internacionais. Na vacina russa, o adenovírus é usado para levar informações sobre o coronavírus para o organismo humano.

Mendes explicou que, constatada a replicação, os russos deveriam apresentar estudos que mostrassem a segurança do método e que a alternativa é o desenvolvimento de outra vacina.

Idosos a partir de 63 anos são vacinados neste domingo (2); veja postos

No primeiro dia de Maio, Piauí registra 30 mortes e 1.468 casos de covid-19

Próxima notícia

Dê sua opinião: