MINISTÉRIO DA SAÚDE

"Não é razoável mudar dois ministros em poucos dias", diz WD sobre saída de Teich

Governador criticou as sucessivas mudanças na pasta responsável por conduzir o país neste momento de pandemia do novo coronavírus


Governador Wellington Dias

Governador Wellington Dias Foto: Piauihoje.com

O governador Wellington Dias criticou a exoneração de Nelson Teich e as sucessivas mudanças na principal pasta responsável por conduzir o país neste momento de pandemia do novo coronavírus.

O ministro Nelson Teich pediu exoneração do Ministério da Saúde na manhã desta sexta-feira (15) por divergir de Jair Bolsonaro quanto ao isolamento social, ao uso da cloroquina e porque o agora ex-ministro se sentiu constrangido quando salões de beleza, barbearias e academias de ginástica foram incluídas na lista de serviços essenciais pelo presidente.

"O país tem que encontrar o seu rumo, não é razoável a decisão de mudar dois ministros em tão poucos dias, especialmente quando estes ministros anunciam um conjunto de medidas pactuadas com estados, municípios, ciência, autorizando pesquisa, autorizando compra de equipamentos. Nós precisamos ter o Governo Federal apoiando quem assumir o cargo de ministro da saúde. Os estados, os municípios, o povo precisam nesse instante de estabilidade, de um poder central coordenando as ações de combate ao coronavírus no Brasil", comentou.

WhatsApp Audio 2020-05-15 at 14.49.23 (online-audio-converter.com).mp3

Governadores de São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará e Maranhão também comentaram a exoneração.

"A confusão que Bolsonaro cria é única no planeta. Espero que as instituições julguem o quanto antes a produção de tantos desastres, entre os quais a demissão de DOIS ministros da Saúde em meio a uma gigantesca crise sanitária. O Brasil merece uma gestão séria e competente", disse Flávio Dino, governador do Maranhão.

Já o governador de São Paulo, João Dória comentou que "mais um ministro que acredita na Ciência deixa o governo Bolsonaro".

Para Camilo Santana, governador do Ceará, "a saída do segundo ministro da Saúde em menos de um mês traz enorme insegurança e preocupação".

"A saída de mais um ministro da saúde em meio a pandemia, mostra como estamos à deriva no enfrentamento à crise por parte do governo federal", disse o governador do Rio Grande do Sul, Renato Casagrande.

Próxima notícia

Dê sua opinião: