Líder do governo repercute pesquisa Datafolha com Lula na frente

João de Deus comemorou resultado da pesquisa sobre intenção de voto


Líder do Governo, deputado João de Deus (PT)

Líder do Governo, deputado João de Deus (PT) Foto: Paulo Pincel

O deputado João de Deus, líder do Governo, repercutiu, hoje (2), pesquisa do Instituto Datafolha que mostra o crescimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na preferência dos eleitores para vencer as eleições para a Presidência da República em 2018. Ela afirmou que Lula ficou em primeiro lugar com 36% das intenções de voto, registrando um aumento de 5% em relação à pesquisa anterior realizada no último mês de junho.

João de Deus afirmou que o segundo colocado na nova pesquisa, que foi divulgada no último final de semana, é o deputado federal Jair Bolsonoro (sem partido) que ficou com 17%, tendo obtido menos da metade das intenções de voto de Lula. Ele lembrou que Lula deixou o Governo em 2010 com 86% de aprovação popular e que foi realizada uma campanha da mídia e de grupos organizados para tirar a sua sucessora, Dilma Rousseff, da Presidência da República.

Acrescentou o parlamentar do PT que “aqueles que tiraram a presidente Dilma do Governo prometeram resolver os problemas econômicos do Brasil, mas o que estamos vendo agora é o país indo cada vez mais para o buraco”. Ele assinalou que o deficit financeiro do Brasil aumentou de R$ 154 bilhões para R$ 174 bilhões este ano, enquanto o orçamento em 2018 terá um “corte cruel” nos recursos destinados às áreas social, de saúde e educação.

João de Deus declarou que o Governo Michel Temer está realizando reformas, como a trabalhista, que retiram direitos dos trabalhadores e alertou que a proposta de reforma da previdência que tramita no Congresso Nacional vai, dentre outras coisas, acabar com a aposentadoria rural.

Em aparte, o deputado Rubem Martins (PSB) declarou que a pesquisa do Datafolha mostrou que 54% dos brasileiros querem que Lula seja preso. João de Deus respondeu que tentam condenar o ex-presidente Lula, mas até agora não provaram nada contra ele e que a rejeição ao seu nome para retorno à Presidência da República vem caindo. “O povo sabe que estão tentando impedir que o Lula seja candidato em 2018”, ressaltou ele.

Fonte: Alepi

Próxima notícia

Dê sua opinião: