ELEIÇÕES 2022

Em debate, Rafael Fonteles aponta propostas para desenvolver o Piauí e critica Bolsonaro

O debate na TV Meio Norte foi o segundo da campanha eleitoral


Rafael Fonteles em debate na TV

Rafael Fonteles em debate na TV Foto: Divulgação


O candidato a governador Rafael Fonteles participou na noite de terça-feira (16), no primeiro dia da campanha eleitoral, do segundo debate com os candidatos a governador do Piauí, promovido pela TV Meio Norte. O debate foi mediado pelo apresentador Ieldyson Vasconcelos.  

Rafael Fonteles respondeu, inicialmente, sobre o tema educação, afirmando que tem propostas concretas para melhorar o nível de aprendizagem da juventude. “Iremos duplicar a quantidade de escolas de tempo integral e a quantidade de matrículas nessas escolas e ainda reforçar o ensino técnico profissional. Queremos aumentar a chance de oportunidade de trabalho e também continuar apoiando os municípios no Programa de Alfabetização na Idade Certa”, enfatizou.

“Nós defendemos o orçamento participativo, com transparência das obras e ações. No nosso futuro governo, pretendemos ampliar essa participação popular, ouvindo lideranças comunitárias e movimentos sociais”, disse Rafael.

Rafael acrescentou que defende políticas de valorização dos professores e demais profissionais da educação. “O Governo do Piauí concedeu nesse ano reajuste de 14% para os professores, enquanto o governo federal concedeu zero reajuste para os servidores públicos federais”, critica.

Foto: Raissa Moraes
Ele ainda afirmou que outra prioridade na educação será investir na Universidade Estadual do Piauí (UESPI), fazendo concurso para ampliar o quadro de servidores e melhorando a infraestrutura dos 12 campi da UESPI, procurando aproximar a universidade dos potenciais econômicos do Piauí e ainda visando incentivar o empreendedorismo.

Ao comentar uma pergunta sobre orçamento secreto, Rafael Fonteles disse que é uma vergonha nacional. “E o principal arquiteto desse orçamento foi o ministro Ciro Nogueira, que é o principal apoiador do candidato Sílvio Mendes. Nós defendemos o orçamento participativo, com transparência das obras e ações”, enfatiza.

Segundo o candidato, no futuro governo, se assim Deus permitir, pretende ampliar essa participação popular, ouvindo lideranças comunitárias e movimentos sociais. “Governo se faz com transparência e participação popular, não com orçamento secreto”, declara Rafael Fonteles.

Durante o debate, Rafael Fonteles ainda criticou a atuação do governo Bolsonaro na área da saúde, principalmente no que se refere à vacinação contra a covid-19, ressaltando que o piauiense é um povo que confia na ciência, por isso que o Estado do Piauí se destacou nacionalmente na vacinação contra a Covid-19.

“E não é à toa que somos o estado menos bolsonarista do país. Durante a pandemia, nossa gestão foi muito positiva, preparando leitos, ampliando as ações de saúde e montando uma estrutura capaz de atender a população e salvar vidas”, disse Rafael.

O ex-secretário da Fazenda do Piauí, que hoje lidera o Time do Povo na disputa pelo governo do Estado, ao ser questionado se o preço da gasolina reduziu ou não depois das medidas adotadas pelo atual governo federal disse que reduziu pouco.

“No governo Lula quando o preço o barril de petróleo e o imposto era maior, o litro da gasolina era R$ 2,70, hoje ainda custa mais de R$ 5,00. Isso acontece porque o governo Bolsonaro não tem coragem de colocar o dedo na ferida, mas no próximo governo Lula a gasolina vai ficar abaixo de R$ 3,00”, acredita Fonteles.

O candidato a governador do PT também questionou ao candidato Coronel Diego, se ao ajudar no plano de governo do candidato Sílvio Mendes realmente colocou as ideias do governo federal Jair Bolsonaro, que o militar defende. Capitão Diego terminou confirmando que sim.

Antes de iniciar o debate, o candidato a governador do PT, Rafael Fonteles, foi apresentado como professor e por ter ocupado os cargos de secretário estadual da Fazenda, presidente do Comsefaz (Comitê Nacional dos Secretários de Fazenda dos Estados e do Distrito Federal) e coordenador do PRO Piauí.  

Ao finalizar o debate, Rafael agradeceu pela oportunidade e pediu voto no 13 para governador. “Quero pedir, humildemente, o seu voto de confiança, estamos preparados e a nossa missão é cuidar de gente, cuidar do povo, garantir oportunidades de trabalho e um governo moderno e inovador”, finalizou Rafael.

Veja o debate na íntegra:


Próxima notícia

Dê sua opinião: