OPERAÇÃO RESTITUERE

PF investiga quadrilha que falsifica laudos para aquisição de armas de fogo no Piauí

As equipes cumprem mandados de busca e apreensão em Teresina


PF investiga quadrilha acusada de falsificar laudos para compra de armas no Piauí

PF investiga quadrilha acusada de falsificar laudos para compra de armas no Piauí Foto: Polícia Federal

A Polícia Federal deflagrou a 'operação Restiture' nesta sexta-feira (17) para desarticular uma quadrilha acusada de falsificar laudos para aquisição de armas de fogo no Piauí. As equipes cumprem mandados de busca e apreensão nos endereços dos investigados em Teresina.

Segundo a Polícia Federal, a investigação teve início após a constatação da falsificação de laudos de aptidão psicológica e laudos de aptidão técnica ao manuseio de arma de fogo necessários para a instrução de processos autorizativos de aquisição de armas de fogo de uso permitido junto ao Sistema Nacional de Armas – SINARM – da própria Polícia Federal. 

"No bojo dos processos suspeitos constatou-se a atuação da mesma despachante representando os interessados e a inautenticidade dos laudos apresentados", disse a PF.

Com os mandados de buscas, a Polícia Federal espera colher novos elementos probatórios para a investigação e identificar outros possíveis envolvidos e beneficiários da prática criminosa.

A autorização para a aquisição de armas de fogo de uso permitido é emitida pela Polícia Federal após o atendimento dos requisitos previstos na Lei nº 10.826/2003, Decreto nº 9.845/2019 e Instrução Normativa nº 201/2021 da Polícia Federal, cujas informações estão disponíveis no endereço eletrônico "www.gov.br/pf/pt-br/assuntos/armas".

Os suspeitos poderão responder pelos crimes de falsificação e uso de documentos falsos previstos nos artigos 298 e 304 do Código Penal Brasileiro, com penas previstas de 01 a 05 anos de reclusão.

Servidores acusados de cobrar cirurgias pagas pelo SUS em hospitais públicos do Piauí

Homem que se passou por delegado é encontrado morto em casa no Buenos Aires

Próxima notícia

Dê sua opinião: