SUPOSTA EXTORSÃO

Jornalista Arimatéia Azevedo vai cumprir prisão domiciliar e usar tornozeleira eletrônica

Na decisão, o desembargador do TJ-PI proibiu que o jornalista exerça sua profissão


Jornalista Arimatéia Azevedo

Jornalista Arimatéia Azevedo Foto: Arquivo pessoal

A 2ª Câmara Especializada Criminal do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) concedeu a prisão domiciliar ao jornalista Arimatéia Azevedo, proprietário do Portal AZ, na manhã desta quarta-feira (24). O jornalista estava preso desde o dia 07 de outubro, na Penitenciária Irmão Guido, em Teresina. Arimatéia Azevedo está sendo acusado de cometer o crime de extorsão contra o empresário Jadyel Silva Alencar, dono de uma distribuidor de medicamentos. 

A decisão do TJ-PI ocorreu durante audiência online, que foi presidida pelo desembargador Joaquim Dias de Santana Filho, relator do processo. O desembargador votou favorável a prisão domiciliar do jornalista junto ao desembargador Manoel de Sousa Dourado e o juiz convocado Antônio Lopes.

Segundo o advogado do jornalista, Paulo Germano, o desembargador concedeu a prisão domiciliar a Arimatéia Azevedo devido suas comorbidades e histórico médico. O jornalista será monitorado por tornozeleira eletrônica. 

Também ficou decidido que Arimatéia Azevedo não poderá exercer sua profissão de jornalista. No entanto, a defesa alegou que irá recorrer dessa decisão porque é a atividade que gera renda ao profissional. 

A prisão

O jornalista Arimatéia Azevedo foi preso em casa, em Teresina, no dia 07 de outubro de 2021 sob acusação de extorsão. Além dele, um advogado identificado como Rony Samuel também foi preso por suposto envolvimento no crime.

Segundo a polícia, Arimatéia Azevedo estaria cobrando valores ao empresário Jadyel Silva Alencar para que não fossem publicadas informações negativas na coluna do jornalista. 

Próxima notícia

Dê sua opinião: