MANIFESTAÇÃO

Familiares protestam em frente ao Karnak após morte de detento da Cadeia de Altos

Manifestantes pediam troca do diretor da Cadeia Pública de Altos, diretor Vinícius


Protesto reuniu cerca de 50 familiares dos apenados em frente ao Palácio de Karnak

Protesto reuniu cerca de 50 familiares dos apenados em frente ao Palácio de Karnak Foto: Montagem Piauihoje.com

Familiares como mães e esposas de presos da Cadeia Pública de Altos fizeram um protesto em frente ao Palácio de Karnak na manhã desta segunda-feira (18) pedindo a troca da direção da CPA e melhores condições para os detentos no presídio.

A manifestação acontece após a morte de Francisco Wellington na última sexta-feira (15) em decorrência de um quadro de infecção, pneumonia e insuficiência renal. Ele estava na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital de Urgência de Teresina (HUT). Outros 47 presos da CPA também apresentaram quadro de infecção e pelo menos seis destes foram encaminhados a hospitais. A Secretaria de Estado da Justiça não informou para quais unidades hospitalares os detentos foram levados e nem apresentou o motivo real que causou o surto de infecção na prisão.

Os parentes dos apenados denunciam casos de torturas, violência e  mais tratos na penitenciária. Nos cartazes empunhados pelas manifestantes, elas revelam que os presos estão sendo alimentados com comidas estragadas, água contaminada e pedem respostas e soluções a respeito.

Identificada apenas como Priscila, a esposa de um dos detentos informou ao Piauihoje.com que um policial se apresentou às manifestantes e disse estar representando o Governo. O militar pediu que fosse formada uma comissão entre as protestantes para que pudessem abrir diálogo com o Governo e ouvir as demandas do ato. 

"Eles vão entrar em contato com a comissão que vai nos representar, já foram escolhidos os nomes das pessoas, eles vão entrar em contato com essas pessoas, a conversa será por videoconferência. Uma advogada, que é parente de um dos presos, entregou uma pauta a ele das nossas reivindicações, pedimos que uma comissão nossa possa adentrar a unidade da CPA para que fiscalizemos tudo e possamos conversar com dois detentos de cada pavilhão, pedimos justiça pela morte de José Wellington, também pedimos informações dos detentos que adoecem, são levados a hospitais, mas nenhum familiar é comunicado e também a questão de eles estarem lá dentro doentes, pedimos que eles sejam tratados lá dentro dignamente", explicou.

Confira os áudios e vídeo a seguir:

WhatsApp Ptt 2020-05-18 at 14.41.07 (online-audio-converter.com).mp3

WhatsApp Ptt 2020-05-18 at 14.44.16 (online-audio-converter.com).mp3


Em nota, a Secretaria de Estado da Justiça (SEJUS) informa que instaurou procedimento e vai investigar as denúncias de tortura na cadeia. Confira a seguir.

NOTA - SEJUS

A Secretaria de Estado da Justiça do Piauí (Sejus) informa que instaurou procedimento para apurar junto à Corregedoria Geral do Estado as denúncias de atos de tortura ou maus tratos a que estariam sendo submetidos internos da Cadeia Pública de Altos, situações que vêm sendo levantadas por alguns advogados de detentos ou reclamadas por familiares de presos, lá encarcerados. A Sejus reitera, contudo, que tais práticas não são admitidas pela atual gestão do órgão, que preza pelo respeito à lei e ao resguardo dos direitos do preso. Nesta linha, o órgão necessita que tais denúncias, por serem graves e aludirem aos profissionais que trabalham diuturnamente no recinto, sejam formalizadas, a fim de que sejam investigadas.

Próxima notícia

Dê sua opinião: