A QUEIMA ROUPA

DHPP já tem pistas para esclarecer a execução de empresário em bar

Evandro Augusto Pinheiro dos Santos foi morto a tiros no domingo (14), no Bar Lob ~


O corpo do empresário foi recolhido pelo IML

O corpo do empresário foi recolhido pelo IML Foto: Luiz Brandão

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa deve concluir até sexta-feira (19), as investigações sobre a execução do empresário Evandro Augusto Pinheiro dos Santos, 31 anos, morto com três tiros à queima roupa no domingo (14), no Bar Lob ~, no bairro Ininga, próximo ao campus da Universidade Federal do Piauí, na zona Leste de Teresina

O coordenador da DHPP, delegado Francisco Costa, o “Baretta”, adiantou que já existe uma linha de investigação e muitas informações a respeito do assassinato do empresário.  “Nos próximos dias nós vamos estar com esse crime elucidado”, previu.

A ex-mulher de Evandro Santos, cujo nome é mantido em sigilo, já foi ouvida. Segundo o depoimento da ex-companheira da vítima, os dois tinham se separado, mas estavam reatando o relacionamento.

 O empresário Evandro Augusto Pinheiro dos Santos, 31 anos, morto com três tiros (Foto: Arquivo pessoal)


Sobre o atirador, Baretta disse que o assassino sabia da presença do empresário no local, que é pouco frequentado. “Esse bar é tipo uma casa onde só vai quem tem negócio. Ele estava lá e solicitou que o dono do bar fosse comprar uma carne e ficou só ele, a mulher e uma cozinheira quando entrou um indivíduo baixo, forte, barrigudo com capuz na cabeça, sacou a arma e desferiu vários disparos contra ele, que morreu no local”, relatou o delegado em entrevista na manhã desta segunda-feira (15).

Um irmão de Evandro Santos, também com identificação preservada, também foi ouvido. Ele parecia assustado, como se estivesse incomodado com alguma coisa.

Um dia antes de morrer, Evandro se encontrou com um homem já identificado e ouvido no DHPP. Ele está hospedado em hotel em frente ao Terminal Rodoviário Lucídio Portela na Vila da Paz. “Eles saíram, foram até o terminal (rodoviário) e depois foram até o antigo Posto 4 Rodas e voltaram. No dia seguinte ele (Evandro) foi para esse bar com essa mulher”, revelou o delegado. Evandro respondia a processo por porte ilegal de arma.

Fonte: DHPP

Próxima notícia

Dê sua opinião: