MORTE NA CORÉIA

Rede americana anuncia a morte do ditador norte-coreano, Kim Jong-Un

A notícia ainda não foi confirmada oficialmente, mas o líder norte coreano estava em estado grave depois de uma cirurgia no coração


Kim Jong-Un desafiou o poderio norte-americano

Kim Jong-Un desafiou o poderio norte-americano Foto: AFP

A rede americana NBC informou há poucos minutos (por volta de 2 horas da madrugada no Brasil) a morte do ditador norte-coreano Kim Jong-Un. A informação ainda não foi confirmada pelos serviços americanos de inteligência.

Mais cedo, emissoras americanas divulgaram que Kim Jong-Un, ditador da Coréia do Norte, encontrava-se em grave estado de saúde. Kim teria sido submetido a procedimento cardiovascular no último dia 12 de abril devido à obesidade, tabagismo e excesso de trabalho. O quadro de saúde do ditador era considerado grave e o risco de morte não era descartado, o que reforça o anúncio da NBC.

Notas sobre a morte de Kim Jong-Un Kim esteve ausente das festividades de 15 de abril que comemoram o aniversário de seu avô, Kim Il-sung, fundador da Coréia do Norte morto em 1994. Desde então especulações sobre o estado de saúde do ditador norte-coreano começaram a se alastrar.

O governo sul-coreano irá verificar o estado de saúde do líder da Coréia do Norte, uma das mais fechadas e sanguinárias ditaduras do mundo.

Atualização:

Katy Tur, correspondente da NBC que noticiou a morte cerebral de Kim Jong-Un, apagou o tweet inicial e disse que aguardará novas informações.

O governo sul-coreano também não confirma a informação e publicou nota dizendo que "não há nada a mencionar oficialmente".

Segundo o NK News, um jornal sul-coreano, boatos sobre a condição de saúde de Kim Jong-Un não são incomuns no país. Ainda no sábado, segundo o NK News, começaram a correr boatos de morte cerebral em decorrência de uma cirurgia. A informação não pode ser confirmada ainda, mas houve boato semelhante em 2014.

Em 2014 o Líder Supremo da Coréia do Norte esteve sumido por cerca de 40 dias antes de reaparecer numa TV estatal usando bengala. Há ainda boatos sobre problemas de saúde de Kim Jong-Un em janeiro e fevereiro de 2020, cirurgias com cardiologistas franceses e uso de jatos privados para atendimentos médicos ao ditador. Algumas movimentações incomuns foram identificadas pela NK News, que não pode confirmar os boatos.

Segundo Andrei Lankov, diretor do Korea Risk Group e dono da NK News, "precisamos ter muito cuidado com todo esse tipo de boato". O diretor sul-coreano diz que a confirmação de informações é muito complicada e que apesar de seu peso excessivo e tabagismo, o ditador do norte "é bastante jovem e tem acesso a bons serviços médicos".

Fonte: Site Brasil Sem Medo

Próxima notícia

Dê sua opinião: