CORONAVÍRUS

Sindicato pede instalação de hospital de campanha na Casa de Custódia para tratar presos

A proposta é transformar o ginásio poliesportivo do presídio em hospital de campanha para tratamento da Covid-19


Casa de Custódia de Teresina

Casa de Custódia de Teresina Foto: CCom

O Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi) encaminhou um ofício ao governador Wellington Dias para sugerir que o ginásio poliesportivo da Penitenciária José Ribamar Leite - antiga Casa de Custódia de Teresina- seja transformado em um hospital de campanha para tratar os detentos diagnosticados com Covid-19.

O Sinpoljuspi considerou a inexistência de locais adequados no sistema prisional do Piauí para tratamento de presos que possam ser infectados pelo novo coronavírus e pede a desocupação do ginásio para a instalação de um hospital de campanha. O pedido leva em consideração o deslocamento de presos acometidos de algum problema de saúde e de policiais penais para os hospitais comuns, o que aumenta o risco de contaminação de Covid-19 tanto para os presos como também aos funcionários dos presídios.

"Os policiais penais diariamente se deslocam para hospitais conduzindo detentos com algum problema de saúde. Isso causa um risco muito grande, seja para o preso ou para o policial penal que vai entrar numa unidade hospitalar onde há pacientes com Covid. Ao retornar para a unidade prisional, o Covid pode entrar junto", disse o segundo vice-presidente do Sinpoljuspi, José Roberto.

José Roberto/Foto: Piauíhoje.com

O representante do Sinpoljuspi  disse ainda que há um caso de Covid-19 no sistema penitenciário. "Pelo menos um caso de preso está confirmado. Diante disso, a gente requereu ao Governo do Estado a instalação do hospital para atender os presos. [...] a população carcerária é de cinco mil presos em 17 unidades prisionais do Estado. Sendo que a concentração maior se encontra na capital e região Altos, que hoje vive um momento complicado com o surto de uma doença que ninguém sabe o que é e que levou 60 presos para o hospital. Atualmente, há sete internados no HUT e sem diagnóstico", lembra José Roberto.

Ginásio poliesportivo da Casa de Custódia

O sindicalista ainda falou sobre a preocupação com possível futuro retorno dos presos que foram liberados do sistema prisional em março por decisão da Vara de Execução Penal. "Medida que nos posicionamos o contrário e que tem previsão conforme uma nova portaria que determina o retorno desses presos até o dia 30 de junho. Considerando que hoje o sistema prisional não está preparado para enfrentar a propagação desse vírus, isso será um 'Deus nos acuda' caso esses presos retornam neste momento aos presídios, local que não deveriam ter saído. Liberou-se os presos para rua, poderão retornar infectados e ai vão infectar os presos que ficaram e ainda os profissionais. Trazer esses presos de volta para o sistema penitenciário hoje é condenar a morte de todos os presos e dos que ali trabalham. Isso é que chamo de genocídio premeditado", denuncia José Roberto.

A Secretaria de Estado da Justiça informou apenas que já recebeu o ofício do Sinpoljuspi e que está avaliando a proposta.

 Ofício encaminhado ao governador Wellington Dias

Próxima notícia

Dê sua opinião: