PANDEMIA

Oito piauienses morrem por Covid-19 em 24h; infectados passam de 1.600

Os óbitos são de Água Branca, Elesbão Veloso, Parnaíba, Piripiri, Teresina e Uruçuí.


Leitos para pacientes com coronavírus

Leitos para pacientes com coronavírus Foto: Divulgação

Oito piauienses perderam a luta para o novo coronavírus e morreram em menos de 24h no Estado. Este é o maior registro de mortes em apenas um dia em decorrência do Covid-19 desde o início da pandemia no Piauí. As informações são da Secretaria de Estado da Saúde (SESAPI) e foram divulgadas às 19h desta terça-feira (12) em boletim epidemiológico emitido à imprensa.

Entre os mortos estão cinco homens, sendo um de 23 e outro de 41 anos em Teresina, um de 30 anos em Piripiri, um de 36 anos em Elesbão Veloso, um idoso de 78 anos de Uruçuí; e três mulheres, sendo uma de 36 anos de Parnaíba, e duas idosas de 89 e 97 anos de Água Branca e Teresina, respectivamente. 

O jovem de 23 anos apresentava imunossupressão e o idoso tinha problemas cardíacos. A parnaibana era diabética, já as idosas sofriam com cardiopatia e diabetes.

O número de mortos no Piauí agora é de 57 e 1.612 infectados, ou seja, 169 novos casos confirmados da doença no Estado, 94 mulheres e 75 homens de idades entre 3 e 97 anos. Faixa etária de adultos com idade de 30 a 49 anos apresenta maior incidência de casos. O novo vírus já atinge 92 das 224 cidades piauienses.

O número de internados com coronavírus no Piauí é de 304 pacientes, destes, 201 estão em leitos clínicos, 101 em leitos de UTI e outros 2 em leitos de estabilização. 250 pacientes tiveram alta médica e 15.706 piauienses testaram negativo para o Sars-Cov-2, nome científico do vírus.

TERESINA

A quarta etapa da pesquisa sorológica realizada pela prefeitura de Teresina estima que 17.297 teresinenses estejam contaminados com o coronavírus. A maior incidência dos casos se dá na zona Sul da capital e os jovens com idade entre 15 e 24 anos concentram a maioria dos casos.

FAKE NEWS SOBE LOCK DOWN

O governador Wellington Dias precisou vir a público na tarde de hoje para desmentir boato que circulou nas redes sociais e informava que o Piauí teria adotado o lock down, confinamento total para conter o avanço do Covid-19. O gestor afirmou que qualquer novo decreto será anunciado com responsabilidade e transparência para a população. 

Brasil: 881 mortes em 24h

O Brasil registrou 881 mortes em 24 horas, sendo que 206 deles aconteceram nos últimos três dias, mas foram inscritos somente de ontem para hoje após a conclusão da investigação. Agora o país contabiliza 12,4 mil óbitos. Hoje o país voltou a confirmar maior número de vítimas da Covid-19 no período de um dia. Também foram registrados 9.258 novos casos. O total chegou a 177.589 casos de coronavírus em todo o Brasil, sendo que 40% das pessoas (72.597) estão recuperadas após contraírem a doença.

Estudo diz que bloqueio total será 'inevitável' em SP se isolamento não subir; ontem um memorando do presidente Jair  Bolsonaro ampliou rol de serviços essenciais incluindo salões de beleza, barbearias e academias de ginásticas na categoria; governadores não seguirão decreto.

O que é o COVID-19

COVID-19 é a doença infecciosa causada pelo coronavírus descoberto mais recentemente. Este novo vírus e doença eram desconhecidos antes do início do surto em Wuhan, China, em dezembro de 2019.

Como se proteger do coronavírus

- Lavar as mãos frequentemente por 20 segundos com água e sabão ou higienizá-las com álcool em gel;

- Cobrir o nariz e a boca com um lenço ou o cotovelo ao tossir e espirrar;

- Evitar contato próximo (um metro de distância) com pessoas que não estejam bem;

- Ficar em casa e se isolar das outras pessoas que moram com você caso apresente os sintomas da doença.

Sintomas do COVID-19

Os sintomas mais comuns do COVID-19 são febre, cansaço e tosse seca. Alguns pacientes podem ter dores, congestão nasal, corrimento nasal, dor de garganta, diarreia, perda do olfato e paladar. Esses sintomas geralmente são leves e começam gradualmente. Algumas pessoas são infectadas, mas não desenvolvem sintomas e não se sentem mal.

A maioria das pessoas (cerca de 80%) se recupera da doença sem precisar de tratamento especial. Cerca de 1 em cada 6 pessoas que recebe COVID-19 fica gravemente doente e desenvolve dificuldade em respirar.

As pessoas idosas e as que têm problemas médicos subjacentes, como pressão alta, problemas cardíacos ou diabetes, têm maior probabilidade de desenvolver doenças graves.

Pessoas com febre, tosse e dificuldade em respirar devem procurar atendimento médico.

Quem é do grupo de risco

Idosos e pessoas com condições médicas pré-existentes (como pressão alta, doenças cardíacas, doenças pulmonares, câncer ou diabetes) parecem desenvolver doenças graves com mais frequência do que outros.

Próxima notícia

Dê sua opinião: