ELEIÇÕES 2022

Quem apoia quem? Veja os famosos que já revelaram o voto

Venha conferir o que mudou e quem já saiu do armário com relação ao voto


Em fevereiro, OFuxico publicou uma lista com os famosos que já haviam manifestado seu voto para as eleições presidenciais de 2022. Agora, pouco mais de três meses antes das eleições, outros nomes entraram no jogo de apoio a seus candidatos favoritos.

Depois de discussões entre celebridades, como a briga entre Tiago Leifert e Felipe Neto, mudança de lado em cima da hora e muitas polêmicas no mundo da política, vamos conferir o que mudou e quem já saiu do armário com relação ao voto.

Irandhir Santos – LULA

Foto: Reprodução/Instagram @irandhirsan

Intérprete de Zé Lucas em “Pantanal”, Globo, Irandhir Santos declarou o voto no ex-presidente Lula na legenda de uma postagem recente com o marido. Com a camiseta do pré-candidato, o ator fez uma declaração para o amado com referências às eleições:

“13 motivos para te amar”, escreveu o artista.

Diversos colegas de profissão elogiaram a publicação do artista. Caso de Roberto Birindelli, que resumiu o elogio com um “mandou bem!”. Nanda Costa, Drico Alves e Erom Cordeiro também exaltaram o casal.

Fábio Porchat – CIRO GOMES

O apresentador e humorista vota em Ciro no primeiro turno, mas só se o candidato crescer nas pesquisas de intenção de voto. Em entrevista ao podcast “Papagaio Falante”,  Porchat explicou que sua segunda opção é Lula, com a oportunidade de tirar Bolsonaro do poder o mais rápido possível.

Se chegar agosto e o Ciro continuar com 7% [das intenções de voto, segundo as pesquisas] e o Lula puder ganhar no primeiro turno, para tirar esse animal, esse verme, esse câncer que está no poder, eu vou pintado de estrela vermelha, cantando ‘Lula lá’, voto apertando 13 trezentas vezes”.

Tiago Leifert – INDECISO

O jornalista se envolveu em , após dizer que não votará no segundo turno caso Bolsonaro e Lula sejam as únicas opções. Em entrevista ao podcast “Cara a Tapa”, o ex-apresentador do “Big Brother Brasil”, da Globo, .

Leifert afirmou entender a representatividade do ex-presidente, mas acendeu a luz de alerta para a trajetória de Lula como um todo. Ainda assim, não há como optar pela dualidade: “Não votaria em nenhum. Não dá, essa é a posição, não dá”.

Humberto Martins – BOLSONARO

Foto: Roberto Filho / Brazil News

Recentemente, o ator surpreendeu o público ao dizer que está satisfeito com o governo Bolsonaro. De acordo com a Veja, o artista não teve problemas em mostrar o seu apoio ao governo do atual presidente:

“Está governando para quem precisa. De certa forma, estou satisfeito com o governo”.

Marcelo Serrado – LULA

O intérprete de Moa em “Cara e Coragem“, TV Globo, já revelou seu voto no ex-presidente Lula para as eleições de outubro. No final de 2021, o artista já havia se posicionado, após se afastar do PT nas eleições presidenciais de 2014 e 2018, quando apoiou Aécio Neves e Bolsonaro, respectivamente.

“Minha 1ª, 2ª e 3ª via é Lula!”, escreveu no Twitter.

Ludmilla – LULA

Ludmilla participou de um encontro com Lula e outros artistas no final de março. Logo depois disso, .

Fãs lembraram que a funkeira se isentou de movimentos políticos nas eleições de 2018. Alguns até apostaram que ela votou em Jair Bolsonaro, algo que gerou muitas críticas nas redes sociais. “Nem acredito que ela foi estudar”, disse um apoiador.

Tico Santa Cruz – CIRO

Assim como Porchat, o vocalista do Detonautas apoia Ciro como terceira via para as eleições. O músico é um ativista político assíduo e fala sobre o Projeto Político do governo.

“O Ciro apresenta, através do Projeto dele, formas viáveis de se colocar em prática essa questão, incluindo a reconstrução do nosso país. Incluindo a reconstrução do Brasil do ponto de vista da industrialização do país”, argumenta.

Fernanda Abreu – ANTIBOLSONARISTA

Se o termo ‘antibolsonaro’ for uma possibilidade, Fernanda Abreu seria a celebridade ideal para esse discurso. Em entrevista ao “Persona”, da TV Cultura, a cantora reforçou que é preciso colocar um ponto final no ‘obscurantismo’ que cobriu o Brasil nos últimos anos. Altiva, elegante e direta, a cantora descreve o país atualmente:

É um Brasil triste que a gente está desde 2018. É um Brasil com desemprego, que ataca a cultura, que é um de nossos maiores bens. Se existe uma coisa que a gente pode se orgulhar, é da sua cultura. Você pode falar mal de um monte de coisa no Brasil, mas a nossa cultura, a nossa música, a nossa dança, as nossas artes plásticas, nossas artes gráficas, nosso cinema, nossos artistas populares, nossa história cultural é muito rica. E tem que ser valorizada. E não atacada como é atacada nos últimos quatro anos”

Fernanda continua seu discurso com o mesmo tom alarmado, sincero e sem descer do salto que usava durante a entrevista. Ela destaca a importância de pautas que foram negligenciadas, negadas ou até ignoradas pelo atual governo, como a causa feminina e a falta de investimento em educação:

“O Brasil não pode ser o país do futuro que nunca chega. O Brasil tem que ser o país do futuro que vai chegar um dia. E ele vai chegar se a gente realmente entender que a gente precisa distribuir renda, gerar emprego, criar oportunidade. A gente precisa valorizar a cultura, a educação, a informação. Isso é fundamental. A gente tem uma pauta humana, de respeito à comunidade LGBTQIA+, às mulheres, acabar com o feminicídio, porque todo dia matam mulher no Brasil, acabar com o racismo. Esse debate é muito importante. Como eu sou uma pessoa otimista, eu tento ver que esse pesadelo está acabando”.

Ainda falando das eleições, a carioca lembrou a campanha que Anitta começou para incentivar os jovens a votar. Movimento que despertou outros artistas para questões sociais e, em consequência, garantiu milhares de títulos de eleitor a mais, com engajamento político dos adolescentes acima de 16 anos.

Eu acho muito importante esse movimento que a Anitta fez de incentivar os jovens a votar. As pessoas ficam muito distantes da política. A política se tornou uma coisa tão suja que o jovem não quer mais saber disso. Só que a política que resolve o futuro desse jovem daqui 5, 10, 15 anos. Então, se ele não se meter e tentar entender quem são os Senadores, o Congresso Nacional, os Deputados Federais, Estaduais, Governadores e Presidente, a gente vai ficar sempre à mercê. E depois ficar reclamando. Tem que botar a mão na massa, se informar, lutar, debater, conversar. Sem briga, sem ódio, sem fake news. Isso tudo é uma chatice, não leva a nada. O que leva a alguma coisa é o respeito, o amor, a amizade, tolerância. A informação, a educação que vão levar o Brasil para frente! É isso que vai transformar o Brasil no que a gente quer, de melhor para todo mundo.

Seguidores fieis


Camila Pitanga, Zélia Duncan e Denise Fraga são fieis apoiadoras de Lula e não é de hoje. Recentemente, elas marcaram presença no lançamento de um livro de cartas enviadas ao ex-presidente enquanto ele estava preso na Polícia Federal de Curitiba, no Paraná.

Da mesma forma que Lula, várias celebridades também apoiam o atual presidente, Jair Bolsonaro. É o caso de Antonia Fontenelle, Zezé Di Camargo e Gusttavo Lima. Os três já manifestaram apoio ao governo atual de diferentes formas.

O Imperador do Sertanejo tem um frigorífico em Goiás e o helicóptero de sua empresa sobrevoou um evento do Presidente Bolsonaro todo envelopado em homenagem ao político. O feito aconteceu no meio da polêmica com os shows bancados com dinheiro público.


Fonte: O Fuxico

Próxima notícia

Dê sua opinião: