;

Presos participam de revisão para o Enem na Casa de Custódia

A revisão contou com a participação de 100 internos no sistema prisional


Os presos farão o exame nos dias 11 e 12 de dezembro.

Os presos farão o exame nos dias 11 e 12 de dezembro. Foto: Thanandro Fabrício

A Coordenação de Ensino da Secretaria de Justiça (Sejus), em parceria com a Secretaria de Educação (Seduc), realizou neste sábado (1º), a última edição 2018 da Revisão Enem para Pessoas Privadas de Liberdade (PPL). Com duração de cinco horas a revisão foi realizada na Penitenciária José de Ribamar Leite, antiga Casa de Custódia, e contou com a participação de 100 internos coordenados pelo trabalho de dezenas de agentes penitenciários e profissionais da educação.

Os detentos farão o Exame Nacional do Ensino Médio nos dias 11 e 12 de dezembro. Participaram da aula internos das unidades: Colônia Agrícola Penal Major César, Penitenciária Irmão Guido, Penitenciária Feminina de Teresina, Casa de Detenção Provisória Capitão Carlos Gomes, além de detentos da unidade que sediou o aulão.

“Queremos fazer com que a educação expanda e proporcione novos horizontes de vida a essas pessoas privadas de liberdade”, destaca Jussyara Valente, coordenadora de Ensino Prisional.

Por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), edição 2017, o Piauí decuplicou o número de pessoas privadas de liberdade aptas a concorrer a vagas em instituições de ensino superior no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), em 2018. Em 2015, 223 detentos fizeram o Enem, o número cresceu vertiginosamente em 2016, chegando a 478 internos inscritos. Em 2017, 313 reeducandos participaram do exame e este ano são 348 inscritos.

Para o secretário de Justiça, Daniel Oliveira, as ações envolvendo o ensino e o trabalho tem contribuído com a disciplina nos presídios. “A grande maioria dos reeducandos que estão integrados aos projetos de ressocialização demonstram bom comportamento  e colaboração com a rotina dentro do presídio. É o sistema de Justiça apresentando oportunidades para quem quer se redimir pelo crime que cometeu”, apontou o gestor.

Fonte: CCom

Próxima notícia

Dê sua opinião: