Detentos se preparam para Enem por meio do Canal Educação

A ferramenta beneficia 65 pessoas privadas de liberdade.


Detentos se preparam para o Enem por meio do Canal Educação

Detentos se preparam para o Enem por meio do Canal Educação Foto: Sejus

Internos do sistema prisional do Piauí estão se preparando para realizarem o Exame Nacional do Ensino Médio 2016 para Pessoas Privadas de Liberdade. Além das revisões presenciais, realizadas nas próprias unidades penitenciárias e por meio das revisões gerais - a primeira do ano, ocorrida no dia 27 de agosto, na Casa de Custódia de Teresina, os detentos também estão tendo acesso à revisão do conteúdo por meio do Programa de Mediação Tecnológica Canal Educação.

Fruto da parceria entre a Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) e a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), o Canal Educação beneficia, hoje, 65 pessoas privadas de liberdade da Penitenciária Feminina de Teresina e da Colônia Agrícola Major César Oliveira. A meta da Secretaria da Justiça, de acordo com a Coordenação de Ensino Prisional do órgão, é expandir o programa para as demais unidades, começando pelas penitenciárias de Bom Jesus e Irmão Guido, em Teresina.

“Estamos fortalecendo este trabalho, de modo a ampliar as oportunidades de acesso dos reeducandos aos programas educacionais desenvolvidos no sistema prisional e, dessa forma, aumentando as chances deles passarem no Enem ou mesmo conquistarem o certificado de conclusão do Ensino Médio”, destaca a coordenadora de Ensino Prisional da Secretaria da Justiça, Jussyara Valente.

Na Colônia Agrícola Major César Oliveira, o interno Reginaldo de Miranda Lima é um dos que já assistem as aulas do Canal Educação. Para Reginaldo, estudar tem ajudado no seu aprimoramento educacional e na preparação para o mercado de trabalho. “Você tem que ser melhor e estar mais preparado para encontrar uma vaga no mercado de trabalho, em qualquer área de seja. O Enem é uma oportunidade para alcançar isso de um jeito melhor”, comenta o reeducando.

No Piauí, o Canal Educação funciona com aulas transmitidas para 170 municípios em 300 pontos de recepção, com a meta de, até o fim deste ano, ser ampliado para 400 salas de aula. De acordo com a Coordenação de Ensino Prisional da Secretaria da Justiça, um novo período de matrícula no Canal Educação no sistema prisional será aberto neste semestre, ampliando, portanto, o número de detentos no preparatório para o Enem 2016.

Revisão do Enem reúne detentos na Casa de Custódia

Nesse sábado, na Casa de Custódia de Teresina, foi realizada a primeira revisão geral do Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional 2016. Participaram 88 detentos vindos das penitenciárias Irmão Guido, Feminina de Teresina, Colônia Agrícola Major César Oliveira, Casa de Detenção de Altos e da própria Custódia.

Esta é a segunda revisão do Enem realizada no sistema prisional pelo Governo do Estado - a primeira foi em novembro de 2015. Foram ministradas seis disciplinas na revisão: Biologia, Redação, Matemática, Linguagens, Química e Física.

Para o secretário da Justiça, Daniel Oliveira, só se pode falar em ressocialização no sistema prisional assegurando investimentos que garantam o acesso da pessoa privada de liberdade aos programas educacionais. "A educação é a nossa principal diretriz, seja para a formação intelectual, para o aperfeiçoamento moral ou a preparação para o mercado de trabalho", pontua o gestor.

De acordo com a Coordenação de Ensino Prisional da Secretaria da Justiça, outra revisão do exame deve ser realizada antes das provas - a secretaria aguarda o lançamento do edital do Enem para definir a data. O material utilizado na revisão do Exame Nacional do Ensino Médio no sistema prisional é fornecido pela Secretaria da Educação.

Fonte: Governo do Estado

Próxima notícia

Dê sua opinião: