AÇÃO

Piauí Fomento e bancos oficiais oferecem crédito a empresas durante pandemia

O Governo do Estado faz divulgação das ações financeiras disponíveis para empresários enfrentarem a crise econômica.


Agência de Fomento do Piauí

Agência de Fomento do Piauí Foto: Divulgação

O Governo do Estado vai divulgar, por meio de seus canais oficiais, todas as linhas de crédito disponíveis pelos bancos públicos (Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Banco do Nordeste) e pela Agência Piauí Fomento para ajudar as empresas que estão em dificuldades, em decorrência da pandemia do novo coronavírus. A intenção é reduzir o desconhecimento dos empresários sobre as diversas operações de créditos oferecidas aos negócios desde o início do isolamento social, no mês de março

Uma pesquisa do Sebrae-PI revelou que 31% dos empresários do estado não conhecem os empréstimos lançados pelos bancos e 52% apenas ouviram falar. Apenas 17% conhecem bem as linhas de crédito. “Por isso, é papel do Governo do Estado levar essas informações ao nosso empresariado. As taxas de juros oferecidas são acessíveis e há operações de crédito em que o banco dispensa garantias, como avalista, por exemplo. É preciso que essa novidade chegue a todos”, explica o secretário de Estado do Planejamento, Antônio Neto.

A divulgação das linhas de crédito envolve, além da Secretaria de Estado do Planejamento (Seplan), a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico (SDE), a Coordenadoria de Comunicação do Estado (CCom) e o Sebrae. Estão sendo marcadas várias reuniões virtuais entre integrantes do governo e gerentes dos bancos nas agências da capital e do interior do Piauí para esclarecimento de dúvidas.

“Orientamos também que os presidentes dos conselhos dos 12 territórios de desenvolvimento se comunicam entre os empresários locais por meio de canais como telefone e WhatsApp. Precisamos ajudar as empresas que foram obrigadas a fechar as portas por conta do isolamento social”, afirma Antônio Neto. O dinheiro servirá para quitar algumas despesas que são fixas, como aluguel, energia, água e pagamento de funcionários.

O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Igor Neri, acrescenta que a SDE está à disposição dos empresários para tirar dúvidas e facilitar a comunicação entre eles e as instituições financeiras, de modo que agilize a análise da documentação e reduz a burocracia na operação de crédito. “Os bancos estão com atendimento por meio digital também, para acelerar mais ainda o processo. Vários empresários do Piauí estão conseguindo ter acesso ao crédito”, comemora o gestor.

Ao mesmo tempo que tenta facilitar o crédito para empresas, a SDE também criou o aplicativo Piauí Delivery, uma plataforma que permite a compra on-line de mercadorias de várias empresas piauienses. Atualmente, estabelecimentos de 10 cidades, organizados por 26 segmentos, estão cadastrados no app.

Piauí Fomento

O Piauí Fomento está oferecendo uma linha de crédito que destina exclusivamente aos segmentos do setor turístico, um dos mais afetados com a pandemia. Com recurso do Fundo Geral do Turismo (Fungetur), o empréstimo dispensa a exigência de vários documentos comuns em outros bancos e dispensa garantia até R$ 50 mil.

“Além disso, o tempo entre o início do cadastro da empresa e a liberação do crédito é rápido e prático, demorando, em média, uma semana. Nos demais bancos, o crédito só é liberado em dois meses”, afirma o diretor-presidente da Piauí Fomento, Luiz Carlos Everton de Farias. Podem solicitar recursos do Fungetur empresas de todos os 224 municípios do Piauí, como bares, restaurantes, pousadas, hotéis, agências de viagens, entre outros.

Dependendo do valor financiado, a Piauí Fomento oferece taxa de juros que varia 1,1% ao mês até 6% ao ano mais o INPC, com carência variando de 6 a 12 meses e pagamento de 24 a 120 meses.

Caixa Econômica

A Caixa tem linhas de crédito de 0,80% a 1,39% ao mês, com carência de 60 dias a 12 meses e amortização de 24 a 120 meses. Além disso, há a pausa comercial de 90 dias para pagamento de parcelas de contratos adimplentes; o Caixa Giro Instantâneo Múltiplo, que prevê a antecipação das vendas com cartão de crédito; e o Cartão Empresarial Caixa com redução das taxas de crédito rotativo (10,02% a.m) e parcelado (2,09% a.m) das faturas de pessoas jurídicas.

O banco também está disponibilizando outras linhas de crédito, além da prevista no Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe), que é gerido pelo Sebrae. O crédito será concedido pela Caixa, com taxas de juros reduzidas em mais de 40%, maior prazo de pagamento e melhor carência. “O Sebrae, por meio do Fampe, concederá garantia financeira complementar aos pequenos negócios, que não têm todas as garantias necessárias para conseguir um financiamento, não tendo qualquer interferência sobre a aprovação do crédito”, explica Delano Rocha, diretor técnico do Sebrae-PI.

Banco do Brasil

O Banco do Brasil tem duas linhas de crédito para os pequenos negócios: BB Giro Digital e BB Giro Empresa, além da campanha Prorrogação Especial Covid-19, que prevê a prorrogação extraordinária do vencimento de duas parcelas para os clientes adimplentes. Os juros são de 0,84% ao mês, carência de 90 dias e prazo de pagamento de 24 e 36 meses.

Banco do Nordeste

Já o Banco do Nordeste conta com mais de dez opções de linhas de crédito para os pequenos negócios, sejam eles urbanos ou rurais. Os juros variam de 2,5% ao ano até 2,4% ao mês, com carência de 30 dias até 7 anos e prazo de amortização de 24 meses a 20 anos.

Informações

Mais informações sobre limites das operações, garantias e outras condições podem ser obtidas nos canais digitais das respectivas instituições financeiras. No caso da Piauí Fomento, o telefone é 3216-6277. A agência está aberta, recebendo clientes de segunda à sexta, de 9h às 12h.

Confira aqui as principais linhas de crédito detalhadas.

Fonte: CCOM

Próxima notícia

Dê sua opinião: