O que compensa mais: dólar na mão ou cartão de crédito?

Coloque tudo na ponta do lápis, desde os passeios a museus, construções históricas e demais pontos turísticos, até a água e o Uber que você vai precisar pegar.


Cambio

Cambio Foto: Divulgação

Ao se preparar para uma viagem ao exterior, uma das primeiras preocupações de qualquer pessoa é quanto ao câmbio hoje. Saber quanto está o dólar ou o euro, por exemplo, é uma das situações mais decisivas da viagem internacional.

No entanto, com a facilidade do cartão de crédito, pode surgir a dúvida do que é mais vantajoso, usar o dinheiro de papel ou o de plástico? Se você ainda está na dúvida, reunimos algumas informações para você não se atrapalhar, nem se endividar à toa durante a sua experiência no exterior.

Antes de tudo, estipule quanto pode gastar

Antes de definir se vai comprar muita moeda, ou se vai apostar nos cartões de crédito (sejam eles recarregáveis ou não), alguns especialistas em finanças dizem que é importante avaliar quanto, no total, você pode gastar na viagem.

Coloque tudo na ponta do lápis, desde os passeios a museus, construções históricas e demais pontos turísticos, até a água e o Uber que você vai precisar pegar.

Mas é necessário fazer tudo isso mesmo? Sim! Para que você não tenha nenhuma surpresa desagradável no fim do mês, é muito importante que você considere todos os seus gastos no exterior. Lembre-se também de levar um dinheiro extra, para os imprevistos que podem, simplesmente, acontecer.

Atenção ao IOF

Você sabe o que é IOF? É uma sigla que significa Imposto sobre Operações Financeiras, que incide sobre as mais diversas operações de câmbio, como compra de moedas. No entanto, também incidem sobre outras operações, como crédito, empréstimos e seguros, por exemplo.

IOF de cartão x IOF da compra de moeda

Para a aquisição de moedas em espécie, a taxa do IOF é de 1,1%. Então, suponha, por exemplo, que você vai comprar U$ 2 mil e que cada dólar custa R$ 4. Neste caso, você precisa de R$ 8 mil para a quantia que quer. E, deste valor, R$ 88 será de imposto IOF.

Já para os cartões, o IOF pode chegar a 6,38%. Ou seja, se você fosse comprar a mesma quantia de U$ 2 mil, você pagaria R$ 510,40 só de taxa.

Dê preferência à compra de moeda

Levando em consideração apenas a taxa de IOF, segundo alguns especialistas, é melhor mesmo dar preferência à compra de moeda. Nesta situação, é sempre importante programar-se com antecedência.

Faça pesquisas

Não é só a cotação da moeda que você precisa saber não, também é muito importante escolher um bom banco ou boa corretora, pois isso também pode mudar preço de compra moeda.

Analise, também, outros serviços, como entrega da moeda na casa, por exemplo.

Não compre a moeda toda de uma vez

Se você precisa de U$ 3 mil, então, evite comprar tudo de uma vez. Faça pequenas compras. Isso, porque ninguém sabe exatamente quando o câmbio vai estar bom. Comprar tudo em um mesmo dia, por exemplo, é um risco, já que no dia seguinte, ou uma semana depois, o dólar pode estar um pouco mais baixo.     

Cartão nas viagens internacionais

Para quem está pensando em usar o cartão de crédito, além da taxa de IOF, é preciso se atentar para outro detalhe. É que as compras feitas em outras moedas são convertidas em real apenas no dia do pagamento da fatura. E ninguém consegue prever, com certeza, se a moeda vai estar menos ou mais cara. 

Apesar destes detalhes, os especialistas recomendam que um cartão seja sim levado para as viagens internacionais. Isso, porque se você perder a quantia que está levando em dinheiro ou se for assaltado, por exemplo, então você tem uma boa alternativa.

Se você for fazer uma viagem mais longa, então, neste caso, também é recomendado usar o cartão de crédito. Isso, porque não é indicado ficar levando grandes quantias de dinheiro, por um grande período.

Vantagens do cartão de crédito

Sim, há vantagens no uso dos cartões de crédito. Em caso de perda, extravio ou roubo, por exemplo, é possível bloqueá-los. Além disso, em alguns casos, é possível até mesmo sacar dinheiro sem o cartão.

Outra boa opção é o cartão de crédito pré-pago. Neste caso, você pode recarregá-lo com a quantia que quiser e ir gastando de acordo com sua necessidade ou vontade. Esses cartões funcionam como um cartão de débito, já que, com eles, não é possível parcelar as compras.

Agora que você já sabe quais as vantagens da moeda e do cartão de crédito para a sua viagem ao exterior, que tal arrumar as malas?

O que compensa mais: dólar na mão ou cartão de crédito?

Ao se preparar para uma viagem ao exterior, uma das primeiras preocupações de qualquer pessoa é quanto ao câmbio hoje. Saber quanto está o dólar ou o euro, por exemplo, é uma das situações mais decisivas da viagem internacional.

No entanto, com a facilidade do cartão de crédito, pode surgir a dúvida do que é mais vantajoso, usar o dinheiro de papel ou o de plástico? Se você ainda está na dúvida, reunimos algumas informações para você não se atrapalhar, nem se endividar à toa durante a sua experiência no exterior.

Antes de tudo, estipule quanto pode gastar

Antes de definir se vai comprar muita moeda, ou se vai apostar nos cartões de crédito (sejam eles recarregáveis ou não), alguns especialistas em finanças dizem que é importante avaliar quanto, no total, você pode gastar na viagem.

Coloque tudo na ponta do lápis, desde os passeios a museus, construções históricas e demais pontos turísticos, até a água e o Uber que você vai precisar pegar.

Mas é necessário fazer tudo isso mesmo? Sim! Para que você não tenha nenhuma surpresa desagradável no fim do mês, é muito importante que você considere todos os seus gastos no exterior. Lembre-se também de levar um dinheiro extra, para os imprevistos que podem, simplesmente, acontecer.

Atenção ao IOF

Você sabe o que é IOF? É uma sigla que significa Imposto sobre Operações Financeiras, que incide sobre as mais diversas operações de câmbio, como compra de moedas. No entanto, também incidem sobre outras operações, como crédito, empréstimos e seguros, por exemplo.

IOF de cartão x IOF da compra de moeda

Para a aquisição de moedas em espécie, a taxa do IOF é de 1,1%. Então, suponha, por exemplo, que você vai comprar U$ 2 mil e que cada dólar custa R$ 4. Neste caso, você precisa de R$ 8 mil para a quantia que quer. E, deste valor, R$ 88 será de imposto IOF.

Já para os cartões, o IOF pode chegar a 6,38%. Ou seja, se você fosse comprar a mesma quantia de U$ 2 mil, você pagaria R$ 510,40 só de taxa.

Dê preferência à compra de moeda

Levando em consideração apenas a taxa de IOF, segundo alguns especialistas, é melhor mesmo dar preferência à compra de moeda. Nesta situação, é sempre importante programar-se com antecedência.

Faça pesquisas

Não é só a cotação da moeda que você precisa saber não, também é muito importante escolher um bom banco ou boa corretora, pois isso também pode mudar preço de compra moeda.

Analise, também, outros serviços, como entrega da moeda na casa, por exemplo.

Não compre a moeda toda de uma vez

Se você precisa de U$ 3 mil, então, evite comprar tudo de uma vez. Faça pequenas compras. Isso, porque ninguém sabe exatamente quando o câmbio vai estar bom. Comprar tudo em um mesmo dia, por exemplo, é um risco, já que no dia seguinte, ou uma semana depois, o dólar pode estar um pouco mais baixo.     

Cartão nas viagens internacionais

Para quem está pensando em usar o cartão de crédito, além da taxa de IOF, é preciso se atentar para outro detalhe. É que as compras feitas em outras moedas são convertidas em real apenas no dia do pagamento da fatura. E ninguém consegue prever, com certeza, se a moeda vai estar menos ou mais cara. 

Apesar destes detalhes, os especialistas recomendam que um cartão seja sim levado para as viagens internacionais. Isso, porque se você perder a quantia que está levando em dinheiro ou se for assaltado, por exemplo, então você tem uma boa alternativa.

Se você for fazer uma viagem mais longa, então, neste caso, também é recomendado usar o cartão de crédito. Isso, porque não é indicado ficar levando grandes quantias de dinheiro, por um grande período.

Vantagens do cartão de crédito

Sim, há vantagens no uso dos cartões de crédito. Em caso de perda, extravio ou roubo, por exemplo, é possível bloqueá-los. Além disso, em alguns casos, é possível até mesmo sacar dinheiro sem o cartão.

Outra boa opção é o cartão de crédito pré-pago. Neste caso, você pode recarregá-lo com a quantia que quiser e ir gastando de acordo com sua necessidade ou vontade. Esses cartões funcionam como um cartão de débito, já que, com eles, não é possível parcelar as compras.

Agora que você já sabe quais as vantagens da moeda e do cartão de crédito para a sua viagem ao exterior, que tal arrumar as malas?

Fonte: Piauihoje

Próxima notícia

Dê sua opinião: