LUTO

Morre Dom Pedro Casaldáliga, o bispo defensor das causas sociais e da Amazônia

Dom Pedro Casaldáliga morreu aos 92 anos em decorrência de problemas respiratórios


Dom Pedro Casaldáliga

Dom Pedro Casaldáliga Foto: Redes sociais

Morreu na manhã deste sábado (08/08), Dom Pedro Casaldáliga, Bispo Emérito da Prelazia de São Félix do Araguaia (Mato Grosso), Missionário Claretiano e um dos mais importantes defensores dos direitos humanos no Brasil. Dom Pedro Casaldáliga faleceu na Santa Casa de Misericórdia de Batatais, no interior de São Paulo, onde foi internado no dia 04 de agosto devido a problemas respiratório agravados pelo Mal de Parkinson.

A notícia de sua morte foi comunicada pela Prelazia de São Félix do Araguaia (MT), a Congregação dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de Maria (Claretianos) e a Ordem de Santo Agostinho (Agostinianos). O Bispo testou negativo para o novo coronavírus.

Segundo a nota de falecimento, ocorrerão três velórios do corpo de Dom Pedro Casaldáliga. O primeiro será em Batatais, a partir das 15 horas na capela do Claretiano – Centro Universitário de Batatais. A missa de exéquias será celebrada no domingo (09), no mesmo endereço acima e será aberta ao público em geral, além de ser transmitida ao vivo pelo link https://youtu.be/spto8rbKye0. O link estará aberto para que outros veículos de comunicação possam retransmitir. 

O segundo velório será em Ribeirão Cascalheira (MT) no Santuário dos Mártires, a partir do dia 10 de agosto, sem previsão de horário de chegada do corpo. E por fim, o terceiro velório será em São Félix do Araguaia (MT), no Centro Comunitário Tia Irene. O sepultamento será em São Félix do Araguaia. 

Quem foi Dom Pedro Casaldáliga

 Dom Pedro Casaldáliga nasceu em 16 de fevereiro de 1928 em Balsareny, na província de Barcelona. Mudou-se da Espanha para o Brasil aos 40 anos de idade, quando veio como missionário, para trabalhar em São Félix do Araguaia. Pertencente à congregação dos missionários claretianos, foi o primeiro bispo da Prelazia do município – a nomeação, em 1971, partiu do Papal Paulo VI. Dom Pedro Casaldáliga ocupou o ofício até 2005, quando renunciou.

Já nos primeiros anos no Brasil, Casaldáliga envolveu-se, ao lado de outros padres espanhóis, na defesa de povos indígenas, ameaçados pela violência dos conflitos agrários e pela expansão dos latifúndios na região.

Casaldáliga foi um dos responsáveis pela fundação do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), ainda na década de 1970. Em 2000, o bispo foi agraciado com o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Entre as características marcantes de Casaldáliga destacam-se a evangelização sem colonialismos, vinculada à promoção humana e à defesa dos direitos humanos dos mais pobres; criação de comunidades eclesiais de base com líderes que sejam fermento entre os pobres; encarnação na vida, nas lutas e esperanças do povo; estrutura participativa, corresponsável e democrática na diocese.

O bispo defendeu em sua trajetória de 50 anos dedicados aos mais simples, sempre representaram muito para a região do Araguaia e para a resistência de um povo que ainda vive diversos conflitos fundiários e de violação dos direitos humanos.


Próxima notícia

Dê sua opinião: