Filosofia de Vida
FILOSOFIA DE VIDA

Precisamos sorrir

Em tempos conturbados de pandemia, rir é o melhor antidepressivo


Sorriso

Sorriso Foto: Divulgação

O corpo humano é algo extraordinário e, muitas vezes recorremos a algo externo para nos reequilibrar quando internamente temos essa possibilidade, naturalmente. Vivemos tempos cinzentos e depressivos e exatamente por isso o neurocientista e psicanalista Fabiano de Abreu leva-nos a redescobrir o poder do riso.

"Rir é muito mais complexo do que parece à primeira vista. Quando rimos, além da respiração estão envolvidos diversos músculos corporais, especialmente da face.", inicia Abreu.

Ainda segundo o estudioso, rir ou ver alguém rir com vontade desencadeia uma série de reações cerebrais.

"Quando rimos ou observamos alguém a rir o nosso cérebro é ativado de inúmeras maneiras: o córtex motor (que ocupa 3 áreas no lobo frontal) e que é o responsável por controlar os músculos. O próprio lobo frontal sendo que este é o responsável por contextualizar e compreender toda a ação e também o sistema límbico que nós vai influenciar positivamente pelas nossas emoções.", explica Abreu.

Ainda segundo as palavras do neurocientista, "o riso é algo tão complexo que consegue ligar várias partes do nosso cérebro. Trabalhar todos esses circuitos simultaneamente acaba por ajudar a manter um cérebro mais ativo e saudável uma vez que fortalece as conexões entre os neurônios".

Mas para Fabiano de Abreu, o mais importante de tudo é o poder antidepressivo e antiestresse do riso.

"Quando rimos com vontade e com alguma frequência, este ato ajuda a controlar os níveis de serotonina, basicamente a função de um antidepressivo. Além disso, esta atitude mais positiva faz diminuir os níveis de cortisol que com o tempo de pode tornar perigoso para o sistema  cardiovascular, metabólico e também imunológico.", relata.

Ainda segundo Fabiano, " rir ajuda a diminuir os níveis de estresse e, em última análise ajuda a prevenir doenças uma vez que sabemos que níveis grandes de estresse e ansiedade prejudicam o nosso sistema imunitário e nos tornam mais propensos a adoecer.".

Mas para Abreu, rir é também uma questão de ver a vida de uma outra forma, mesmo socialmente sermos alegres muda a perspectiva dos outros sobre nós.

"Temos que usar a inteligência emocional, ativar mais o lado consciente para tomar decisões que nos traga um melhor conforto emocional e equilíbrio para uma melhor saúde mental. Ver um bom filme de comédia, buscar jogos em família ou amigos, lembrar de acontecimentos engraçados, buscar palavras e situações engraçadas para animar o outro e assim, sorrir, já que, o sorriso do outros nos faz sorrir também. Conte piadas, leia piadas, leia histórias engraçadas e sorria até de situações indesejáveis. Fazer sorrir e sorrir advém de um exercício de pulsão comportamental para a satisfação primeiro do outro e depois de si mesmo". 

Fabiano de Abreu luso-brasileiro e especialista em estudos da mente humana, neurocientista com especialização em Harvard e doutorado na L'Homme de Paris. Precursor nos estudos sobre a internet deixar as pessoas menos inteligentes publicado e aprovado pelo comitê científico internacional, membro da Federação Européia de Neurociência e da Mensa, associação de pessoas mais inteligentes do mundo com sede na Inglaterra. 

Próxima notícia

Dê sua opinião:

Sobre a coluna

Fabiano de Abreu

Fabiano de Abreu

Fabiano de Abreu é psicanalista, jornalista, escritor, filósofo e poeta luso-brasileiro. Detém o prêmio do jornalista que mais criou personagens na história da imprensa internacional. Lançou o livro ‘Viver Pode Não Ser Tão Ruim’ no Brasil, Portugal e Angola. Membro da Mensa (número: 1625BR) , associação de pessoas mais inteligentes do mundo, foi constatado com o QI percentil 99 sendo considerado um dos maiores do mundo. Registro 0.0543 0 Sociedade Brasileira de Psicanálise Clínica e CBPC. Registro Intel Reseller Tecnology - Especialista em tecnologia: 10381444. Registro FENAJ: 0035228/RJ. Registro Internacional: BR16791. Como jornalista tem o recorde mundial na criação de personagens e colabora com inúmeras colunas no Brasil, Portugal e em Angola. Possui jornais em Portugal e é correspondente jornalístico internacional. Como escritor possui 9 livros. No meio acadêmico, além de jornalista é bacharelado em Neurociência pela Emil Brunner World University, nos EUA. Possuí especialização pós universitária em Neurociência na Universidade de Harvard, nos EUA, pós universitário em neurociência pela Faveni no Brasil, Psicanalista e Neuropsicanalista pela Sociedade Brasileira de Psicanálise Clínica e SBPC, mestre em Psicanálise, especialização em psicopedagogia, neurociência em cognição e comportamento humano, todos pelo Instituto Gaio da Unesco, especialização em neuroplasticidade na Brain Academy de Bruxelas, pós universitário em neuropsicologia na Cognos em Portugal, especialização em nutrição clínica, gestão de hora e riscos psicossociais pela Traininghouse em Portugal, Idealismo filosófico e visões do mundo - Universidade Autônoma de Madrid, Introdução à Filosofia da Passagens Escola de Filosofia, História de La Ética pela Universidad Carlos III de Madrid, MBA em Psicologia Positiva - Autorrealização, Propósito e Sentido de Vida - PUC RS, Registro Intel Reseller Tecnology - Especialista em tecnologia; IP:10381444, Registro FENAJ: 0035228/RJ, Registro Jornalista Internacional IFJ: BR16791, Membro Mensa número: 1625BR. Membro da Mensa, associação de pessoas mais inteligentes do mundo com sede na Inglaterra, seu QI de 99 está entre os maiores do mundo.

Fique conectado

Inscreva-se na nossa lista de emails para receber as principais notícias!

*nós não fazemos spam

Enquete